quinta-feira, 18 de maio de 2017

Otakus denunciando a Crunchyroll por advertência passa do cúmulo da imaturidade

Naruto e sua turma

Isso foi assunto da semana no meio "otaku", principalmente entre os fãs do anime Naruto. Um canal de vídeos no YouTube chamado Animaction Mania exibia lives com episódios de Naruto Shippuden. Quem tem os direitos de exibição no Brasil - via streaming - é o canal Crunchyroll. Não deu outra. O canal de vídeos levou aquele strike como advertência e teve seus vídeos apagados.

Como se não fosse o bastante, o dono do canal ficou fulo da vida, mencionou vários impropérios e até tentou denunciar a própria Crunchyroll. (Oi???) Ué, denunciar pra que? A Crunchy tem direitos de Naruto de mais algumas séries no Brasil e em outros países. Então pra que se revoltar, né?

A revolta dos "otakinhos de plantão" só dá motivos de mais risada. Tá na cara que a atitude é, no mínimo, infantil/adolescente e sem informação alguma sobre direitos autorais. Pro bem ou pro mal, o YouTube tem suas regras. Existem trabalhos de divulgação que são confundidos pelo YouTube e acabam sendo limados por direitos autorais. Agora uma outra coisa é exibir uma live ou passar episódios isolados na íntegra de uma série que tem acesso oficial por aqui.

Essa resistência dos "otakinhos" (claro, não falo de todos) é antiga e vem desde o lançamento da Crunchyroll em 2012. Quem acompanhou na época deve ter visto um clássico vídeo onde um adolescente reclama pelo lançamento e ainda disse que o canal não iria fazer sucesso. (Oi??? 2, a missão) Ledo engano. A Crunchyroll continua firme e forte em quase 5 anos de estrada no Brasil e um dos resultados é a queda da pirataria das séries de anime.

Entenda, aqui não é nenhuma propaganda, merchan ou qualquer coisa do tipo. É apenas uma análise de um mero espectador que também curte o canal. Pecado nenhum até aí. O problema mesmo é que estamos falando de fãs de Naruto. E encontrar alguém que apoie materiais oficiais nesse meio "naruteiro" e que tenha senso e maturidade pra entender como o mercado funciona é uma mina de ouro. O fiasco do recente filme do ninja loiro por aqui é um retrato disso que estou falando.

5 comentários:

  1. Quem tem os direitos de exibição no Brasil - via streaming - é o canal Crunchyroll.
    Ela não tem os direitos no Brasil. os direitos dela e mais internacional do que regional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim, Sidney, e lhe digo mais: o serviço atua no Brasil e em outros países. Tem representatividade por aqui, ao contrário do que dizem uns desavisados pela net afora. Aliás, canais de streaming como Crunchyroll, Netflix, Daisuki, Amazon Prime, entre outros são como "TV na internet". Ou seja, pra passar uma série ou um filme na telinha tem que ter contrato com alguma licenciadora. No caso da Crunchy, existem licenciadoras que trazem séries para o Brasil e outras não. Se alguma série passa na Chunchy americana e não passa no Brasil, aí a responsabilidade é só e somente da distribuidora que levou o material para o canal. Não é muito diferente do que acontece na TV. Não é difícil de entender. A própria Crunchyroll é bem transparente quanto à isso e bem mais que a Netflix.

      Excluir
    2. Eu conversei com eles e eles disseram o seguinte que a licença do anime não é somente no Brasil mas sim regional ou seja o Brasil não tem exclusividade.

      Excluir
    3. Então, Sydney. Eles tem direito de exibição no Brasil - via streaming, no caso. Como expliquei no comentário anterior. O que não interfere no licenciamento para outras mídias como TV (DB Super estreia em agosto no Cartoon Network), por exemplo. A região de licenciamento do Brasil, pela Crunchyroll, é América Latina. Outros países também exibem Dragon Ball Super via simulcast.

      Excluir
  2. Esses são os verdadeiros "Otakus fedidos", Narutards como sempre mostrando sua infantilidade, já não basta ficarem fazendo comparações ridículas com outros animes ainda ficam de chiliques

    ResponderExcluir