quarta-feira, 30 de julho de 2014

Revelado elenco do filme de Shingeki no Kyojin

O filme live-action de Shingeki no Kyojin (Ataque dos Titãs) teve seu elenco anunciado nesta quarta-feira (30) pelo site Crunchyroll. O destaque vão para atores conhecidos em séries de tokusatsu. Segue então os nomes:


  • Haruma Miura possivelmente como Eren Jaeger
  • Hiroki Hasegawa (novo live-action Jellyfish Princess, Why Don’t You Play in Hell)
  • Kiko Mizuhara (Norwegian Wood, Helter Skelter)
  • Kanata Hongō (Prince of Tennis, Nana 2)
  • Takahiro Miura (live-action Space Battleship Yamato)
  • Nanami Sakuraba (Twin Spica)
  • Satoru Matsuo (Thermae Romae)
  • Satomi Ishihara (No Longer Human, Sadako 3D)
  • Pierre Taki (Linda Linda Linda)
  • Jun Kunimura (Audition, Kill Bill)
  • Shu Watanabe (Kamen Rider OOO)
  • Ayame Misaki (Tokumei Sentai Go-Busters)
  • Rina Takeda (High Kick Girl)


Ainda não há informações concretas quanto aos demais personagens que cada um interpretará. Apenas o nome de Haruma Miura está cotado para ser Eren Jaeger, porém ainda não é oficial. Entres os atores de tokusatsu estão Shu Watanabe, o Eiji Hino/Kamen Rider OOO e Ayame Misaki, a vilã Escape de Go-Busters.

O filme será dividido em duas partes e terá supervisão de Hajime Isayama, o autor da série de mangá/anime.

terça-feira, 29 de julho de 2014

O que falta para Mahouka Koukou no Rettousei ser mais badalado

Quando o anime Mahouka Koukou no Rettousei começou, a imprensa especializada apontou a série
como uma boa aposta para o ano de 2014. Daí podia-se esperar um boom como foi com Sword Art Online em 2012 e Shingeki no Kyojin em 2013.

O anime está no ar há quatro meses e ainda não caiu na boca do povo como sendo a série mais bem popular deste ano. Pelo menos por enquanto. Toda expectativa como tal foi devido ao sucesso da série de light novel lançada originalmente antes do anime.

Não que Mahouka tenha uma história ruim, mas peca em alguns detalhes. Ao invés da série ser mais carregada de ação e suspense, os bastidores da Escola de Magia é mais presente. Detalhe: é um ponto favorável na trama que explorou a entrada de Tatsuya no Conselho por ter uma habilidade excepcional, mesmo tendo tirado baixas notas.

Atualmente a série está em seu segundo arco, onde mostra um campeonato de magia onde nove escolas competem entre si. Confesso que não está sendo tão empolgante quanto esperava. Tipo, você esperava ter um up na trama. Pois era esperado uma rivalidade maior entre Tatsuya Shiba e Masaki Ichijô. O duelo entre os dois deixou a desejar. Faltou um toque mais, digamos, agressivo que deixasse um ganho para o episódio seguinte.

Agora, um ponto negativo para o anime é a estranha relação de irmandade dos Irmãos Shiba. Uma paixão incestuosa que a cada episódio fica bem mais que subtendida. Gosto do Tatsuya e não posso dizer o mesmo de Miyuki. Gostava dela até o inicio da série pela sua graciosidade. Mas ela é uma personagem chata que aqui acolá fica forçando a barra. Um bom exemplo disso, no episódio deste último final de semana ela pediu pra que Tatsuya a mimasse para que ela fosse dormir. Deprimente demais. O que falta para ela pedir que o seu irmão não faça? Prefiro nem falar nada.

Mahouka tem seus altos e baixo e precisa melhorar muito até o final pra surpreender e convencer que tem potencial para bater de frente.

Estrelas Lendárias - Mussum

Hoje tem nova edição da seção Estrelas Lendárias! Há exatamente 20 anos atrás, morria um dos maiores ícones do humor brasileiro e ainda é bastante presente nos meios de interação. O nome dele era Antônio Carlos Bernardes Gomes, mais conhecido como o sambista trapalhão Mussum.

Nasceu em 7 de abril de 1941, no Morro da Cachoeirinha, zona norte do Rio de Janeiro. Começou sua carreira tocando reco-reco no grupo musical Os Modernos do Samba. Mais tarde fundaria o grupo Os Sete Modernos, que mudaria de nome para Os Originais do Samba.

Na década de 1960, recebe convite para participar de um programa humorístico na televisão. Receoso, Mussum tinha um certo preconceito de "pintar a cara" (ou seja, passar maquiagem) e dizia que isso não era coisa de homem. Depois foi convencido e participou do programa Bairro Feliz, da Rede Globo. A partir daí ganhou o famoso apelido pelo saudoso Grande Otelo (1915-1993).

Em 1969, o diretor de TV Wilton Franco (1930-2012) o convidou para integrar no programa Os Trapalhões, na extinta Rede Excelsior (1960-70). Mussum recusa mais este convite, e mais tarde foi convencido pelo amigo Dedé Santana (que assinava na época como Manfried Sant'Anna) a participar. Só então, em 1973, é que Mussum forma o trio com Dedé e Didi. Zacarias passaria a formar o quarteto no ano seguinte. Quando Os Trapalhões foi para a Globo, Mussum deixaria Os Originais do Samba para se dedicar ao quarteto.


Cacildis!

Mussum era considerado como um dos mais engraçados personagens d'Os Trapalhões. Sempre falava palavras terminando com um "is" ou um "évis". Chamava a cachaça pela gíria "mé". Caracterizando o personagem que aparecia no programa. Dessa popularidade, chegou a ser garoto-propaganda de uma famosa marca de bebida do gênero.

Mussum nos deixou no dia 29 de julho de 1994, devido a complicações de um transplante de coração que se submetia. Deixou uma marca por seu carisma e genialidade no quarteto liderado por Renato Aragão. Até hoje ele é lembrado e sua imagem é usada para várias brincadeiras e memes na internet. Como por exemplo, o "Obamis".



Algumas frases marcantes de Mussum:


  • "Eu vou me pirulitar daqui, cacildis!"
  • "Mais vale um bebadis conhecidiss, que um alcoolatra anonimiss"
  • "Trais mais uma ampola!" Obs.: Pedindo cerveja.
  • "Casa, comida, três milhão por mês, fora o bafo!"

Então, vamos relembrar mais momentos hilário do grande Mussum!










segunda-feira, 28 de julho de 2014

Logo da Rede Brasil é uma cópia manjada da Globo

Eu sei que já enchi o saco falando sobre a Rede Brasil por aqui. Mas tenho que falar disso. Não sei se já repararam, mas a logo da emissora é parecida com a logo da Globo. Em vários detalhes. A cada transformação do logo da "toda poderosa" dos Marinho, a Rede Brasil também muda com um formato aproximado.

Repare como a logo "A gente se liga em você" foi copiada para "Uma TV ligada em você". Chacrinha tinha razão. Viu? Ainda em julho, a RBTV inaugurou a "nova" logomarca. Fizeram todo um marketing todo pra ver como ficou meio parecido. Até as chamadas dos programas tem uma estilização parecida com a que a Globo vem usando ultimamente. Nada demais em imitar, pois em vários casos pode soar como uma simples referência/homenagem. Até aí, nada demais. Agora, tipo, se "prender" ao que a Globo tende a mudar na estética, realmente não dá. Não passa de pura falta de criatividade.

Comparem aí e digam se é ou não uma mera coincidência:


sábado, 26 de julho de 2014

Saint Seiya Omega ganha reprise no Japão

O anime Saint Seiya Omega (ou Os Cavaleiros do Zodíaco Omega) será reprisado no Japão pelo canal UHF Chiba TV a partir de 29 de agosto (sexta-feira) das 17:30 às 18:00.

Ainda não há informações concretas sobre os episódios, mas pela divulgação oficial abaixo, a exibição deve começar a partir da saga de Pallas, que foi a segunda e última da série.

Saint Seiya Omega foi exibido no Japão entre 1 de abril de 2012 e 30 de março de 2014. Totalizando 97 episódios. A exibição original era transmitida pela TV Asahi nas madrugadas de domingo às 6:30. Sucedendo Digimon Xros Wars e precedendo Abarenbō Rikishi!! Matsutarō.



Hiroshi Watari narra o memorial de Sharivan

Antes do lançamento dos dois filmes V-Cinema Uchuu Keiji NEXT GENERATION, a Toei Video irá lançar os documentários Uchuu Keiji Sharivan MEMORIAL e Uchuu Keiji Shaider MEMORIAL. Anunciados há alguns dias atrás. Somente a capa do memorial de Sharivan foi divulgado no momento.

Este especial seguirá os mesmos moldes de Uchuu Keiji Gavan MEMORIAL (lançado em setembro de 2012) e terá duração em torno de 70 minutos.

O ator Hiroshi Watari, que protagonizou a segunda série dos Metal Heroes como Den Iga/Sharivan, narrará o documentário. Lembrando que Watari volta a encarnar o mesmo personagem em Uchuu Keiji Sharivan NEXT GENERATION em outubro que vem.

Uchuu Keiji Sharivan MEMORIAL conterá extras como spots de TV, abertura e sequências finais, trailers e comentários em áudio. Como brinde, acompanha um livreto de 32 páginas. O este documentário será lançado em 12 de setembro em DVD e o de Shaider em 10 de outubro. Cada um com um mês de antecedência dos lançamentos de seus respectivos V-Cinema.

Abaixo você confere as imagens do estúdio de gravação, onde Watari narra esta produção:


Zyuranger será lançado no ocidente


Isso mesmo! Você não leu errado e nem é notícia de 1 de abril (estamos em julho, mou!). Kyoryu Sentai Zyuranger, a série Super Sentai de 1992 que deu origem para a primeira temporada de Mighty Morphin Power Rangers será lançado no ocidente.

O anúncio aconteceu nesta sexta-feira (25) pela empresa Shout! Factory, que lançou os DVDs de várias temporadas dos Power Rangers em parceria com a Saban. Pela primeira vez na história dos "enlatados americanos fabricados na terra do sol nascente" que uma versão original será difundida de forma legal nos EUA. Principalmente se tratando de uma maravilhosa série de tokusatsu.

Pode ser difícil, mas não custa nada ficar na torcida para que esse tipo de material venha com todo o vigor em terras brasileiras. Seria um bom motivo para agradecermos (em alguma coisa) ao israelita Haim Saban.

Geki x Jason: Um encontro que promoverá a "paz mundial" entre os fãs de tokusatsu


Se você ainda não conhece nada sobre Zyuranger e não entende do que estamos falando, leia uma mega matéria especial sobre a série que foi escrita em agosto na seção Ponto de Vista aqui no blog. Fica então um vídeo de abertura pra comemorar essa boa notícia:


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Trailer do live action de Ao Haru Ride

O anime Ao Haru Ride está em exibição no Japão, e está se mostrando um dos melhores nesta temporada de verão. Como devem saber, haverá o filme em live-action da história originalmente produzida em mangá. Assista ao vídeo promocional lançado pela Toho Films:


O filme será protagonizado pela atriz Tsubasa Honda como Futaba Yoshioka e Masahiro Higashide como Kô Tanaka/Kô Mabushi. A história conta sobre dois amigos que se separaram após um mal-entendido. Após três anos Futaba reencontra o seu grande amor e descobre que ele sofreu uma grande mudança.

A estreia no Japão será em 13 de dezembro. Leia mais sobre as primeiras impressões do anime aqui.

24 Horas: Viva um Novo Dia é discutido na Comic Con; + cogitação de filme para o cinema


No painel da série 24 Horas na Comic Con, em San Diego-EUA, nesta quinta-feira (24), o ator Kiefer Sutherland e os produtores Jon Cassar e Howard Gordon falaram sobre a limited series 24 Horas: Viva um Novo Dia (24: Live Another Day).

Sutherland conta curiosidade sobre os bastidores da recente série:

"Nós fizemos nove temporadas juntos e essa foi a vez em que eu o vi [Jon Cassar] mais nervoso. (…) Nós precisávamos de seis semanas até ter uma arma no set, aviso prévio etc. Dito isso, houve uma coisa fantástica. Nós tivemos que começar a pensar, ‘Em vez de atirar em alguém, o que mais podemos fazer?’ No final, foi incrível".

Sutherland contou que teve medo de retornar ao papel de Jack Bauer:

"O pânico foi extraordinário. Se você honestamente perguntar a qualquer um de nós, ao longo das oito temporadas, nunca vamos dizer que fizemos uma temporada perfeita, nem por um segundo. Mas houve o suficiente para que, depois de oito anos, nós ficássemos orgulhosos do que nós tínhamos feito. Durante seis meses, após concordarmos em produzir a nona temporada, eu estava indeciso. Lembro-me dos primeiros três dias de gravação, [perguntando]: Isso é digno de Jack Bauer? Eu estava muito preocupado em não servir ao personagem, à história e à franquia".

O ator ainda falou sobre o possível desfecho da trama no futuro e agradece aos fãs:

"É difícil terminar. Nós viemos logo de cara com isso. Tentando criar o fim da nossa série nesta temporada, porque tínhamos dito que esta era a última temporada, e foi muito difícil para nós. Todos nós individualmente não queríamos que acabasse; nós lutamos contra isso, lutamos por isso. O retorno do público ao final desta temporada foi muito gentil e amável, então muito obrigado".

Nada foi dito sobre um futuro "Day 10", que é bastante esperado pelos fãs da série com manifestações nas redes sociais. Peter Rice, presidente da Fox Networks Group, disse que acredita na possibilidade de vermos uma décima temporada em breve. Mas até agora nada foi discutido.

Jon Cassar afirmou que há chances do filme de 24 Horas pintar nas telonas. Vamos aguardar!

24 Horas: Viva um Novo Dia atualmente está sendo exibido na Rede Globo aos domingos, depois do Fantástico.

*Créditos de tradução: Ligados em Série

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Dublagem de séries de primetime pode ser problema nas TVs pagas

Person of Interest sofre atrasos na exibição de atual
 temporada por conta de exibição com dublagem

Antes de qualquer coisa, essa não é uma crítica para falar mal de dublagem, pois é algo que gosto. Longe de cogitação. O teor do assunto é sobre o fato de alguns canais de séries na TV por assinatura deixarem atrasar as principais séries do momento para quase um ano depois de exibição dos EUA por conta das versões em nosso idioma. Tá certo que alguns canais ainda se preocupam em passar perto da exibição americana. Enquanto outras séries sofrem sérios atrasos e perdem para a pirataria.

Pra começar, é preciso entender como a coisa já funcionava. Há cerca de 15-16 anos atrás, canais como a TeleUno (atual AXN) e Fox exibia séries dubladas. Já o Sony e a Warner sempre passavam com áudio original e com legendas em português. Depois da virada do século, aos poucos viriam certas mudanças. AXN e Fox começavam a aderir as versões legendadas de suas séries. Veteranas como Arquivo X, por exemplo, ainda era mais procurado na versão dublada. Pois ainda é bastante popular e tornou-se um cult.

A popularidade e a preferência do público em geral para as versões originais até hoje são procuradas. Neste tempo, as séries dubladas se restringiam apenas na TV aberta. Mas foi em julho de 2007 que uma decisão (contraditória) do canal Fox Brasil veio de supetão. Toda a programação de séries seriam dubladas! Todo mundo ficou espantado e muitas reclamações chegaram ao prédio da emissora. A alegação da mesma era que foi feita uma pesquisa onde a maioria dizia que "preferia ver as séries dubladas". Mas como somos macacos velhos no assunto, sabemos que a maioria (lê-se: hardcore) prefere ver legendadas mesmo. Nem preciso explicar os motivos. Claro, não desmerecendo o trabalho dos dubladores que tanto gostamos.

Aos poucos canais como Warner Channel vão excluindo aos poucos as legendas. É possível notar isso nas chamadas de reprises de Arrow, Person of Interest e mais recentemente com Supernatural. E como surpresa (se é boa ou ruim, depende de quem encara), a segunda temporada de Arrow - que deveria estar no ar por aqui desde o final do ano passado - está sendo exibida com dublagem e sem opções de legenda. A tendência é acontecer o mesmo com as outras duas citadas, ou quem sabe até com novas e veteranas da casa. Questão de tempo.

A sugestão para conciliar as duas versões é que, para evitar atrasos maiores em relação à América, fossem colocadas as versões legendadas na exibição inédita (durante a vigência da temporada atual) e a atual nas reprises. É um bom modo de ser mais rápido que a própria pirataria que, infelizmente, é apelada para último caso em momentos de delay.


Nip/Tuck (2003-2010) teve um dos títulos mais bizarros na TV aberta

Agora vai um questionamento pra "botar lenha na fogueira" (rsrs): qual título soa melhor por aqui? Arrow ou "Arqueiro"? Tudo bem que é uma tradução. Mas hoje em dia os títulos originais soam melhor e são procurados por isso. Títulos em português é preferível chamar pelas séries clássicas. Quer um bom exemplo de uma série recente? Lembram do seriado Nip/Tuck, que passava na Fox e no FX? Então, o seriado passou depois no SBT como "Estética". Quem vai procurar um seriado nas lojas com esse título? Assim perde todo o sentido das personalidades dos cirurgiões Troy/MacNamara. Mas esse ponto bem que poderia render num outro papo no futuro...

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Geki x Jason: Um encontro que promoverá a "paz mundial" entre os fãs de tokusatsu

Yuta Mochizuki encontrará com sua contraparte americana em breve


















Nesta semana, tivemos uma baita duma surpresa. O ator Yuta Mochizuki, mais conhecido como o Príncipe da Tribo Yamato Geki/TyrannoRanger na série Kyoryu Sentai Zyuranger (Esquadrão Dinossauro Zyuranger, 1992), é uma das atrações do Power Morphicon, que acontece no final de agosto nos EUA. Além dele, estão dois dublês que estiveram envolvidos na série: Hiroshi Maeda (TyrannoRanger) e Yasuhiro Takeuchi (Dragon Ranger).

Nem preciso dizer que são nomes da série japonesa do gênero Super Sentai que deu origem a série Mighty Morphin Power Rangers. E o mais curioso de tudo é que Mochizuki deverá se encontrar com o ator Austin St. John, que viveu na pele do herói Jason Lee Scott -- o Ranger Vermelho original da franquia americana, e que é a contraparte do herói vivido pelo ator japonês convidado.

Naturalmente, isso pode ser motivo de comemoração para os fãs que curtem ambas as franquias, como pode também deixar muitos haters fulos da vida. Não vejo motivos pra toda a raiva. Afinal, os dois marcaram gerações em seus respectivos países. E olha que vai ser um encontro que vai promover algo que já deveria acontecer há muito tempo (especialmente se tratando em termos de Brasil): a união pacífica e amigável sobre a importância de Power Rangers e Super Sentai.

Quem sabe daí role uma divulgação mais difusa dos Super Sentais. Não estou dizendo que o gênero japonês vai vingar de vez no ocidente. Mas que haja mais abrangência sobre o conhecimento do gênero japonês dos esquadrões, tanto para leigos quanto para aqueles que se dizem "fã" de Power Rangers e não sabem nada sobre a origem vinda da terra do sol nascente. Aliás, eu já tinha escrito aqui no blog do que eu acho sobre a falta de conhecimento sobre os Super Sentais. Depois que comentei sobre isso, recebi elogios de pessoas que captaram o foco da mensagem. Também recebi críticas de alguns que chegaram a me subestimar quanto aos meus conhecimentos sobre o assunto. Normal - até certo ponto. Pra você ver como o título Power Rangers é famigerado, tenebroso, confuso, motivo prum pé de guerra... E ao mesmo tempo diverte.

Espero que o encontro dos dois atores dê um basta nessa "debate" chato pra saber qual é o melhor. Super Sentai e Power Rangers são tokusatsu! Há quem queria provar o contrário, né? Aliás, no Japão o termo "tokusatsu" é designado para qualquer produção que contenha efeitos especiais. E se os japoneses gostam da adaptação americana (o que é bem diferente de ser uma "imitação"), por que eu tenho que ser obrigado a odiar? Não é verdade? Tudo é questão de abrir a mente para tentar entender como a coisa funciona ou deveria funcionar melhor.

Bom, acho que agora a era dos desentendimentos vindos desde o "bug do milênio" irão cessar para algo que parecia não ter resultado. E pra quem não está se acostumando com a ideia, pode se preparar para uma "nova era de paz". Passar disso, o choro meramente gratuito. :]


terça-feira, 22 de julho de 2014

Parem de tratar a Rede Brasil como substituta da Manchete

Jaspion continua sendo limado (sem dó) pela emissora

Resolvi tocar mais uma vez sobre a programação de séries antigas da Rede Brasil para tratar de um certo questionamento. Por mim nem falaria mais sobre isso, mas tem horas que é inevitável. Desde de quando a emissora anunciou a "aquisição" de Jaspion em sua programação, tenho visto uma chuva de comentários de exaltação - indevida - à mesma.

Ultimamente vi e ouvi todo o tipo de comentário dizendo algo como "Esse canal é o melhor canal pós-Manchete", "Tragam o Kamen Rider Black de volta", "Quero ver o YuYu Hakusho", (e o pior de todos:) "Essa é a Manchete do futuro!" e coisas do tipo.

Só pra esclarecer mais uma vez: Não sou contra a programação retrô da emissora, pois eu mesmo já cheguei a divulgar aqui no blog -- quando o canal passou a ter sinal aberto nas TVs por assinatura digital. O que eu tenho descido a lenha de uns tempos pra cá é quanto ao tratamento da RBTV com as séries antigas, principalmente tratando-se das japonesas. Nem quero me deter ao assunto sobre direitos autorais. Isso é lá com eles.

Acompanhem o meu raciocínio, gente. Vocês acham que uma emissora -- com todo o respeito à ela -- que já deixou escapar menu de DVD alternativo, passou a abertura do episódio seguinte após o final do anterior, prometeu passar tokusatsu em plena "boca da madrugada" (ou seja, perto da meia-noite), e "melou" na estreia de Jaspion (e continua melando ao cortar os eyecatches) e que jamais passou da metade destas séries merece ter algum tipo de credibilidade? Que bem me lembro, até bem pouco tempo atrás os fãs de tokusatsu estavam mais exigente quanto ao fator qualidade. O que é bem diferente de ser "hater" (que não é meu caso, okay?).

Lembram quando, por exemplo, a Focus filmes chegou a dar vacilos históricos com os lançamentos de Changeman, Flashman e Jiraiya em DVD? Pois é. Muitos reclamaram (com razão) e criticaram a empresa de home-vídeo por isso, e eu fui um deles. Sinceramente, não entendo porque abrir a guarda agora pra esse tipo de programação falha (pra não dizer: fajuta) e que nunca seguirá a risca de nadica de nada.

Sobre a Manchete, tá certo que ela deu algumas presepadas na programação. Segurou um bom tempão pra passar finais de muitas séries e tal. Nada que comprometesse como vem acontecendo agora. Sou eternamente grato por ela ter feito parte da minha infância/adolescência. Pelo menos os Bloch pagavam pelas exibições, apesar das crises financeiras que enfrentaram.

O público saudosista que não me leve a mal, mas o mesmo deveria se conscientizar pra uma realidade: não haverá outra emissora que faça igual ou que chegue aos pés do que a Manchete fez pelos tokusatsus e animes no Brasil. No more. São tempos que não voltam mais! Nunca serão! Se é pra RBTV passar séries clássicas, que faça direito, mou. E como falei outra vez, esse negócio de todo canal pequeno passar tokusatsu está causando saturação terrível no gênero. E bem pior que há 20 anos atrás. Emperrando ainda mais a possibilidade de uma porta se abrir pra alguma renovação de público no Brasil. Trocando em miúdos: é comprar gato por lebre. Essa é que é a verdade. Lamentável toda essa situação atual!

PS: Antes que alguém defenda o canal, deixo uma última pergunta: A Rede Brasil vai passar dos primeiros 23 episódios de Jaspion? Se não passar, eu respondo no fim do ano o por quê e digo quais são as garantias que o público tem com toda essa transmissão ilegal. Nem precisaria escrever um editorial pra explicar. Afinal, tá muito na vista, né? Quem sabe um dia volte a falar do desfecho dessa novela? Por enquanto, deixa cair...

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Dublagem e estreia na Globo de 24 Horas: Viva um Novo Dia foram consideráveis

Jack Bauer agita as noites de domingo na Globo

Neste domingo (20) a Globo estreou a série 24 Horas: Viva um Novo Dia, após o Fantástico. A série vai ao ar todos os domingos neste horário, até o final de setembro. Assim como nos EUA e no Brasil (pela Fox), foram exibidos os primeiros dois dos 12 episódios da limited series.

Não é a primeira vez que Jack Bauer cai no horário dominical da emissora carioca. Costumeiramente, a Globo exibia nas madrugadas de segunda à sexta, entre janeiro e fevereiro do ano seguinte da exibição original. Com exceção da segunda temporada que teve transmissão dominical entre abril e setembro de 2004. Na época, a estreia foi seguida pelos dois primeiros episódios -- e foram mesclados como se fossem um só. O resultado foi terrível! A primeira hora foi comprimida a míseros 30 minutos e houveram mais outros cortes no segundo episódio, tirando toda a emoção.

Voltando ao presente, a exibição foi considerável. Na medida em que a Globo poderia fazer. Foi criada uma abertura mais chamativa e diferente da que costumava fazer com a série original. Na introdução de seis minutos e no momento em que Jack é interrogado por Steve Navarro, deu pra perceber leves cortes. Coisa de poucos segundos. Nada que interferisse no enredo, mas acabou tirando um pouco do suspense. Desnecessário isso.


Como era esperado, a Globo cortou o momento em que o relógio digital aparece para ir ao comercial. Estes momentos são pulados para quando o relógio volta do comercial em meio ao split screen. Falando nisso, um esclarecimento importante: a diferença de quatro minutos de uma parte para outra não é corte da Globo! Mas sim da própria série para dar um espaço de tempo para os intervalos. Ou você pensava que cada episódio na íntegra soma 60 minutos contados?

Esquisito mesmo foi ao terminar o episódio às 12:00:00, houve uma passagem seca para o episódio seguinte, cortando o "Previously on 24". Talvez não precisasse, né? Afinal, a Globo fez uma montagem na mensagem que apresentava o aviso "The following takes place between 11:06am and 1:00pm." Como os dois primeiros episódios fossem apenas um só. :P Ah, o aviso "Events occur in real time" foi cortada.

A Globo exibiu toda uma "parte 1" até o penúltimo bloco da segunda hora. Foi para o comercial após o diálogo entre o Presidente Heller e Mark Boudreau. E continuou na cena seguinte onde Jack chegava ao local onde estava Derrick Yates. Agora não tem mais vinheta de intervalo próprio pro seriado e segue com a atual vinheta do "plim-plim". Engraçado é que a ficha da produção executiva apareceu toda escrita com letras digitais. Nem existe isso originalmente, mas... Digamos que o "Padrão Globo de Qualidade" para a série está razoável. Tirando os tais cortes, foi uma boa estreia e não chegou a descontentar quanto a estreia da última exibição dominical há 10 anos atrás.


Sobre a dublagem, quem está realizando o trabalho é o estúdio paulista Sigma (São Paulo-SP), que havia dublado apenas a oitava e última temporada de 24 Horas. (NOTA: Anteriormente as primeiras sete temporadas da série foram dubladas pela Master Sound.) O carioca Márcio Simões e a paulista Angélica dos Santos voltam a emprestar suas vozes para Jack Bauer e Chloe O'Brian, respectivamente.

Houveram mudanças nas vozes do Presidente James Heller e Audrey Boudreau. Antigamente eles eram dublados por Luiz Antônio Lobue e Letícia Quinto, respectivamente. Caiu bem a voz da Marli Bortoleto na voz da ex-namorada de Jack. Aqui houve uma repetição de voz do dublador Fábio Moura como Mark Boudreau. Sua voz é conhecida por interpretar o Tony Almeida.

No momento em que é narrada a mensagem do tempo do episódio, temos a voz do Simões. Agora está correto, pois ao invés de um narrador eventual esta mensagem sempre foi lida pelo ator Kiefer Sutherland no original. O estranho foi no início do primeiro episódio, que ao aparecer a legenda "East London", foi lida em inglês pelo narrador, ao invés de dizer "Leste de Londres".

Enfim, gostei da dublagem. Embora que eu prefiro mais a versão original, pois carrega uma emoção maior. Mas desde a estreia da primeira temporada na Globo, em janeiro de 2004, sempre acompanhei a dublagem brasileira de 24 Horas.

Leia os comentários da estreia, que escrevi em maio, aqui no blog. Recomendo que leia os demais comentários sobre os episódios seguintes após a exibição de cada um na Globo. Os textos contém altas doses de spoilers.

Segunda temporada de Arrow estreia hoje na Warner

Elenco fixo da segunda temporada de Arrow

Nesta segunda-feira (21) estreia na Warner Channel a segunda temporada de Arrow, série baseada no herói da DC Comics Arqueiro Verde. A exibição regular acontecerá todas as segundas e terças na faixa das 22h25.

No primeiro episódio, intitulado como "City of Heroes", Diggle e Felicity estão à procura de Oliver Queen, já que não mora em Starling City. Ao voltar para sua cidade, o herói descobre que um grande caos impera por lá desde a sua ausência.

A atual temporada de Arrow tem 23 episódios e foi exibida nos EUA pelo canal The CW entre 9 de outubro de 2013 a 14 de maio de 2014, sempre na faixa das oito da noite das quartas-feiras. A terceira temporada está marcada para 8 de outubro nos EUA e segue sem previsão de lançamento no Brasil.

domingo, 20 de julho de 2014

24 Horas: Viva um Novo Dia estreia hoje na Globo

Jack e Chloe de volta logo após o Fantástico

A novíssima série 24 Horas: Viva um Novo Dia (24: Live Another Day) estreia neste domingo (20) na Rede Globo. Esta, que pode ser considerada também como a nona temporada da série original, será exibida todos os domingos a partir das 23h05, logo após o Fantástico. Não perca!

A limited series, de apenas 12 episódios, trás de volta o ex-agente federal Jack Bauer em uma nova corrida contra o tempo. O Dia 9 começa quatro anos após Jack fugir das autoridades americanas e russas, e agora ele está em Londres, Inglaterra para prevenir o Presidente James Heller de um possível atentado terrorista.

24 Horas: Viva um Novo Dia foi exibido nos EUA entre 5 de maio e 14 de julho na Fox americana. No Brasil, a exibição acontecia um dia após a transmissão original.

Saiba mais sobre a premissa da série aqui.

sábado, 19 de julho de 2014

Ator de Prison Break na nova série do Flash

Deu no Entertainment Weekly. O ator Wentworth Miller, mais conhecido como Michael Scofield da excelente série norte-americana Prison Break, está garantido para participar do quarto episódio da nova série do Flash como o Leonard Snart, o Capitão Frio (Captain Cold no original).

Segundo o produtor executivo Greg Berlanti, poderemos ver a origem do supervilão e também do grupo Rogues, grupo que será liderado pelo mesmo durante a trama.

Ainda sobre a série, Geoff Johns, chefe de criação da DC Comics, revelou na coletiva de imprensa na Television Critics Association que a nova versão de The Flash será "a adaptação mais fiel" da editora.

Dentre as novidades, foram divulgadas que o uniforme de Flash evoluirá com o passar do tempo, ficando com tons mais avermelhados. Segundo informações do TV Guide, o oitavo episódio de cada das próximas temporadas de Arrow e The Flash serão um crossover de 2h de duração. Felicity aparecerá em The Flash no quarto episódio.

A série estreia nos EUA em 7 de outubro. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Uchuu Keiji NEXT GENERATION ganha dois novos trailers

A Toei divulgou hoje em seu canal no YouTube os trailers dos V-Cinema Uchuu Keiji Sharivan NEXT GENERATION e Uchuu Keiji Shaider NEXT GENERATION. Os "aperitivos" dão um gostinho do que veremos em breve. As cenas de ação estão com uma qualidade acima do nível dos Metal Heroes e lembram bastante os momentos de combate como nos velhos tempos. O negócio é alucinante. Assista aí:





Sharivan e Shaider NEXT GENERATION serão lançados direto para DVD e Blu-ray em 10 de outubro e 7 de novembro, respectivamente.

Os 20 anos de Winspector e Patrine no Brasil

Winspector deu o pontapé para a segunda era dos tokusatsus pós-Jaspion/Changeman

Na metade do ano de 1994, surgiam na TV Brasileira duas novas séries do gênero tokusatsu via Rede Manchete. Eram o Esquadrão Especial Winspector (Tokkei Winspector) e a Estrela Fascinante Patrine (Bishojo Kamen Poitrine). Ambas foram produzidas pela Toei Company em 1990 e chegaram ao Brasil por intermédio do sr. Toshihiko Egashira e sua distribuidora Tikara Filmes (anteriormente Everest Vídeo) e marcaram o início da era de prata dos tokusatsus em nosso país, formada depois com as séries Solbrain e Kamen Rider Black RX no ano seguinte.

A programação da extinta TV Manchete estava segurando reprises das séries Kamen Rider Black (ou "Blackman" como era horrendamente chamado na programação) e Cybercop. Black ficou na programação exatamente até o dia 15 de julho (sexta-feira) no horário das 16h30. Cybercop passava a partir das 19h00, logo após o Clube da Criança.

A partir do dia 18 do mesmo mês, mais precisamente um dia após a conquista do tetracampeonato brasileiro na Copa do Mundo nos EUA, a Manchete reformulava a programação das séries japonesas, que estava bem escassa devido à saturação que o gênero sofreu em anos anteriores. As reprises quase intermináveis de Issamu Minami contra os Gorgon teve seus dias contados e foi substituído pelo programa Acredite Se Quiser (das 15h30 às 17h00). Cybercop ficaria provisoriamente apenas no matinal Dudalegria.

E a partir das 19h00 começava a série Winspector! Infelizmente o horário era ocupado por telejornais locais de vários estados fora do eixo Rio-São Paulo, e algumas optavam por exibir apenas os últimos minutos do episódio. Mas havia um horário alternativo nas manhãs do programa de Duda LittleUm pouco antes, em 4 de julho do mesmo ano, tivemos a estreia da heroína no Clube da Criança. Posteriormente em 1 de agosto teve exibição matinal no Dudalegria.


Antes da estreia, Patrine era a 
prometida para ser a nova
 "Rainha dos Baixinhos"


Durante o novo mês 9agosto), Winspector e Patrine foram firmados no horário vespertino da emissora. Formando um trio com Cybercop (esta ficou na Manchete até o início de março de 1995) a partir do dia 15 de agosto, chegando até competir com a reprise de Flashman na Rede Record.

A programação da Manchete ainda não teve uma pegada popular com estas séries e só passaram a ficar em evidência após a estreia do anime Os Cavaleiros do Zodíaco, em setembro do mesmo ano. Com a chegada do anime, Winspector teve uma certa ajuda no sucesso. Não teve o mesmo auge de Jaspion e Changeman. Mas marcou a memória afetiva de quem acompanhava a saudosa emissora dos Bloch. Rendeu diversos brinquedos pela Glasllite, e lançamento em VHS pela Intermovies.

Já Patrine, teve um sucesso mediano. Inicialmente foi a "grande aposta" do Toshi em trazê-la no lugar de Kamen Rider Black para seu pacote para o ano de 1991. Tentando chamar a atenção da molecada, a heroína foi referida como a "nova rainha dos baixinhos" (What?!). Isso com a intenção de tentar emplacar sucesso como aconteceu no Japão. Dentre as ideias, havia planos para um circo-show nos mesmos moldes de Jaspion/Changeman. Patrine foi anunciada pela Manchete em meados de 1993 para estrear no Clube da Criança, que era apresentado pela atriz Mylla Christie naquele ano. Mas foi adiada e só em julho do ano seguinte aconteceu a estreia como contamos acima. Não fez sucesso com o público feminino, mas foi garantia de comentários em papos de roda entre os garotos.



As duas séries foram dubladas pela extinta Windstar. Talvez os únicos trabalhos do estúdio. O narrador de ambas foi Emerson Camargo, que foi a voz oficial de National Kid nas duas primeiras dublagens brasileiras. Dentre os heróis, as vozes de Marcelo Campos (Mú de Áries) como Liuma Ogawa/Fire, Hermes Baroli (Seiya de Pégaso) como Biker, Afonso Amajones (Ultraman) como Highter, Marli Bortoletto (Sailor Moon) como Sayuri Nakami/Patrine e tantos outros ficaram na lembrança de quem assistia na época.

Winspector foi a nona série do gênero Metal Hero e a penúltima desta franquia a vir para nosso país. Em 1999 (ou 1990 numa possível retcon), o chefe de polícia Shunsuke Masaki cria uma força especial com tecnologia avançada para combater a criminalidade em Tóquio. A equipe é formada pelo policial Liuma Ogawa (Ryouma Kagawa no original), que veste uma poderosa armadura e assume o codinome Fire. Pelos "irmãos" robôs Biker e Highter (Walter), a policial Junko Fujino e demais aliados. Esteve em diversos horários na Manchete e ficou por mais de três anos no ar.

Patrine é uma personagem criada pelo falecido mangaká Shotarô Ishinomori e sua série foi a décima primeira do extinto bloco Toei Fushigi Comedy Series, da faixa das nove da manhã da Fuji TV (onde atualmente é ocupada pelo anime Dragon Ball Kai). A história conta sobre a estudante Sayuri Nakami (Yuko Murakami) que é escolhida pelo Deus Protetor para se tornar em Patrine e proteger a paz na cidade. A heroína tem a ajuda de seu irmão Hideki (Takutô) e do Clube Patrine em sua luta. Porém, desconhecem a identidade da mascarada. A série dá uma importante engrenada com a aparição da Pequena Patrine (Poitrine Petite) e do Diabo (Diable).






quarta-feira, 16 de julho de 2014

Season finale de 24 Horas: Viva um Novo Dia foi intenso e carregado

Nono dia mais difícil de Jack Bauer chega ao fim

[SPOILERS]

Atenção: O texto a seguir fala sobre o último episódio de 24 Horas: Viva um Novo Dia (24: Live Another Day). Caso tenha acompanhado a série original ou ainda não assistiu a nova temporada de forma isolada, recomendamos que assista a série a partir do próximo domingo (20) na Rede Globo antes de seguir a leitura deste post. Os comentários e imagens contidos podem causar trecos e taquicardias antecipadas como diz o aviso abaixo e não nos responsabilizamos por quaisquer sintomas generalizados. É por conta e risco. (:P) Mas se você não dá a mínima pra série, passe adiante e leia outra postagem qualquer. :]


Então, bombas de mil megatons em 3...


2...


1...




























I warned. Damn it!



Chegamos ao final de 24 Horas: Viva um Novo Dia! Este foi um dos finais mais carregados desde a quinta temporada. Já podia-se sentir isso desde o primeiro minuto do episódio. Audrey estava na mira de um sniper, a mando de Cheng Zhi. Foi tenso vê-la assim nas mãos do terrorista. Inocentemente, ela ainda tentou salvar a amiga que levou um tiro. Poxa, quem é que vai dizer a um assassino que alguém sobreviveu e que vai ajudá-la? Melhor ter ficado quieta, mou.

Jack Bauer descobre a façanha de Cheng e parte para o navio para capturar o chinês energúmeno. Enquanto isso, Kate Morgan arma um plano para regatar Audrey. Enquanto isso, o Presidente James Heller corre contra o tempo para impedir uma guerra contra a China, sob um aviso de que retaliações caso houvesse um ataque contra os EUA. 

Chloe consegue contatar Jack e ajuda-o a capturar Cheng. Era no mínimo esperado que isso tivesse que resolver às pressas. Afinal, quem é Jack Bauer sem Chloe O'Brian, não é verdade? No meio da operação, que contava com Belcheck, Cheng descobre o sinal de Chloe e interfere. Percebendo que há algo errado, ele ordena ao sniper a morte de Audrey. Mas Kate consegue salvá-la a tempo.

Agora vem a covardia dos roteiristas... Outro sniper aparece numa emboscada e mata Audrey. Caramba, o que foi aquilo?! Poxa, precisava matá-la assim, depois que ela se livrou da mira? Foi triste demais. Quase chorei. Se Jack já não tem sorte com as mulheres, imagine ter que perder alguém assim...



Foi só o nosso anti-herói saber disso que ele quase cai em prantos. Motivo pra cara se invocar e mandar bala adoidado nos capangas e dar de cara com Cheng. Jack não mediu esforços pra empunhar de uma Katana e transmitir o vídeo para Heller e o Presidente Chinês Wei para o reconhecimento facial. Quanto a vingança de Jack contra Cheng, foi bastante cruel! Como nunca vimos Jack agir. Aliás, Cheng foi o trecentésimo a morrer pelas mãos do ex-CTU.






Para ligar ao desfecho, Chloe desaparece e é encontrado sangue na sala onde ela se escondeu para ativar a imagem infra-vermelha para a missão. Jack atende uma ligação onde ele combinava um encontro condicional para a manhã seguinte.

Daí o episódio faz um salto de 12 horas no tempo. Mais precisamente das 10:46pm para 10:50am. Os últimos nove minutos mostraram Mark Boudreau em preso na sede britânica da CIA. O diálogo de Heller com o Primeiro Ministro Davies foi algo triste e profundo. O Presidente dizia que no dia de sua posse ele via uma linda mulher chegando ao gabinete, e que essa mulher era sua filha. Dizia também que daqui algum tempo esqueceria de tudo isso, devido ao seu Alzheimer. Que triste, caramba!... (snif!)


Faltando quatro minutos para o desfecho, chegava um helicóptero russo em um determinado local de Londres. Jack e Belcheck vão para o local combinado para se encontrar com um agente russo, em troca da liberdade de Chloe. Em troca, Jack se entregaria às autoridades de Moscou. Ao se encontrar rapidamente com Chloe, Jack diz a ela para olhar pela sua família.




Jack ameaça o agente russo ao dizer que se alguma coisa acontecer com Chloe e a família, diz que vai "fazer o seu mundo desmoronar". O agente diz que o interesse dos russo é apenas por Jack, e diz: "Eu diria que você poderá desfrutar de Moscou, mas você saberia que eu estava mentindo." Assim, Belcheck e Chloe vão embora e Jack é levado, numa cena que lembrou ligeiramente o final de 24 Horas: A Redenção.



Poxa! Um belo gancho para uma possível nova temporada. Será que teremos? Damn it, Jack! Volta logo, pô!!!...

Filme de Power Rangers segue em produção


Segundo informações do Hollywood Reporter, o novo filme de Power Rangers contará com os roteiristas Ashley Miller e Zack Stentz, os mesmos de X-Men: Primeira Classe. A prodição executiva fica a cargo de Roberto Orci (Star Trek, O Espetacular Homem-Aranha 2).

O filme será produzido pelo estúdio independente Lionsgate, mais conhecido pela série de filme Jogos Vorazes. A história será um reboot da fase Mighty Morphin Power Rangers, que foram adaptadas das séries Zyuranger, Dairanger e Kakuranger -- da franquia Super Sentai.

Detalhes sobre o elenco serão revelados em breve.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Novo filme de Dragon Ball Z em 2015

O mangaká Akira Toriyama confirmou um novo filme de Dragon Ball Z para os cinemas japoneses na primavera de 2015. A nota foi publicada na edição de setembro da V Jump, da editora Shueisha.

Segundo Toriyama, a história deste novo longa-metragem havia sido planejada para o mangá original. A produção segue a todo vapor com as artes, pequenos diálogos e cenas de ação idealizados por Toriyama. Ele também afirma que a história continua em segredo e garante que boas doses de estarão presentes.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Jaspion estreia com corte na Rede Brasil

Jaspion tem break comercial minutos antes do eyecatch na "grande" estreia em SP

E a tão aguardada "estreia" Jaspion aconteceu nesta segunda-feira (14). Com pouco tempo de divulgação, e anúncio de estreia praticamente em cima da bucha, a Rede Brasil coloca o nosso "Ginga no Tarzan" em horário nobre.

Como já é sabido do licenciamento feito na surdina, poderia se esperar algo fora do lugar. Mais ou mais tarde. Pra estragar de vez, a Rede Brasil cortou a cena em que Jaspion e Anri estão sendo perseguidos pelos monstros da taverna espacial... e entra o break comercial em cima. Isso tudo sem esperar a hora do eyecatch (vinheta de intervalo) passar.

Tá bem na vista que a emissora não tem cuidado com o material que vai ao ar. E não é a primeira vez que isso acontece. Alguém ainda acha que essa exibição tá merecendo valor?

Jaspion e Power Rangers na Rede Brasil? E daí?

Estevan é apenas mais um produto da reciclagem nos Metal Heroes

Todo mundo tá comentando por aí sobre o visual do Uchuu Keiji Estevan, que aparecerá em Sharivan: NEXT GENERATION em outubro. O visual é totalmente chupado do Gavan Bootleg e cromado em ouro. Falta de criatividade da Toei em criar uma nova combat suit, né?

Pois é. Ele não foi o primeiro a vim de uma reciclagem. Ou melhor, reciclagem foi uma coisa que quase sempre existiu durante os 17 anos em que a franquia dos Metal Heroes esteve na TV japonesa. Quase toda a série vimos reaproveitamento de cenas, técnicas, golpes, visuais, conceitos, etc. A moda pegou também anos mais tarde com a Saban e a Disney ao reaproveitar heróis e vilões de Beetleborgs em alguns episódios de Power Rangers.

Mais recentemente, teve gente que reclamou do visual do Gavan Type-G ser uma "cópia" do Gavan original. Até aí dá pra entender a referência e algumas diferenças no traje dos dois Gavans. Ele pode ser considerado como o que Ultraman Jack foi em termos de aparência.

Mas quanto ao visual da armadura de Seigi (interpretado no filme por Ryouma Baba)... Poxa, a Toei deveria ter criado algo novo. Parece que a ordem do estúdio japonês é reaproveitar ao máximo de materiais passados e dar uma "atualizada". Bom, enquanto uns vão pra reciclagem, outros vão para o ferro-velho.

Independente disso, o herói pode até vir a nos surpreender, se tiver uma boa história.

O que podemos esperar pelo novo Globo de Ouro?

César Filho e Isabela Garcia na apresentação do musical em 1988

Se você ainda não sabia, o Globo de Ouro vai voltar! Com dez episódios inéditos, o Canal Viva fará um revival, da mesma forma que aconteceu com o Sai de Baixo em 2013. Segundo informações, a apresentação ficará no comando dos cantores José Augusto e Kátia.

Até aí, tudo bem. Certamente devem resgatar os cantores que fizeram sucesso nas décadas de 70 e 80. Época em que o musical esteve no ar. Mas há uma coisa que me intriga: haverá a presença de cantores da atualidade. Nem é por questão de saudosismo ou algo do tipo. E sim por qualidade.

O problema é que o cenário musical brasileiro atualmente, se você pegar todos os ritmos em voga, estão de mal a pior. As boas músicas praticamente estão desaparecendo e a molecada de hoje não tá nem aí pra respeitar os grandes mestres. Há uma ressalva que pode salvar a futura edição, que é a "elitização" de nomes. Por exemplo, nos anos 80 era fácil de ver nomes da antiga MPB no palco e mais umas poucas músicas de axé. É preciso que se diga que até o axé daquela época era bom de se ouvir. Já alguns bregas trashes ficavam mesmo nos programas popularescos como Cassino do Chacrinha, Clube do Bolinha e derivados.

É claro que ainda hoje há cantores da nova MPB que tem talento e merecem ser valorizados. O que já não são com tantos funks e forrós de quinta categoria em evidência. O jeito é resgatar a boa música dos tempos antigos e contemporâneos e peneirar as atrações que vão pisar no palco. Deixar o espaço pra quem realmente merece estar lá. Ainda é cedo pra falar mais e o jeito é esperar pra ver como será isso. Enfim, pro bem ou pro mal, a nova edição do Globo de Ouro vai dar o que falar.

domingo, 13 de julho de 2014

Chamada de estreia de Space Cop (Gavan) na Globo

O YouTube é uma das ferramentas mais legais existe na internet. Lá você pode encontrar vários vídeos antigos da TV. Muitas delas de acervos pessoais gravados em VHS. Então, nesta semana caiu na web a chamada de estreia do Policial do Espaço Gavan (Uchuu Keiji Gavan, 1982) na extinta Sessão Aventura, da Rede Globo. Até então, só existia a chamada da série Bicrossers por lá. Agora podemos ver e relembrar como era a expectativa de um novo herói japonês estreando no Brasil -- devido ao embalo de Jaspion/Changeman e cia.


A estreia de Gavan no Brasil se deu às 16h45 do dia 4 de março de 1991, e era exibido de segunda à sexta. Antecipando Bicrossers (17h15), que já era sucesso desde a estreia em janeiro do mesmo ano. Bons tempos em que os heróis rendiam um belo espaço antes da tenebrosa Malhação.

Nobuo Yamada

Nobuo Yamada, um dos maiores ícones clássicos dos animesongs

Hoje é o dia mundial do rock! Nada melhor do que falar de um dos grandes representantes do gênero musical no mundo dos animesongs (e que também curto demais). Nobuo Yamada, antigo vocalista do grupo Make-Up e famoso por cantar um dos maiores hinos do anime Os Cavaleiros do Zodíaco, estará no Brasil neste mês nos eventos Anime Friends e SANA.


O jovem Nobuo na era Make-Up

NoB nasceu no dia 20 de janeiro de 1964, em Osaka. Sua inspiração musical veio do cantor David Coverdale, da banda Whitesnake e ex-Deep Purple. Aos 19 anos foi escolhido para ser o vocalista da banda Make-Up, pelas escolhas de Akira Takasaki e Higuchi Munetaka (in memorian), respectivamente guitarrista e baterista da banda Loudness. Em 1986, a banda recebe o convite da Nippon Columbia para cantar os temas musicais de Saint Seiya. Sendo "Pegasus Fantasy" aquela que seria uma das maiores musicas de anime de todos os tempos.

Nobuo compôs os temas principais juntamente com Hiroaki Matsuzawa. Por curiosidade, Nobuo compôs as notas num quarto de hotel -- em apenas 10 minutinhos! A letra ficou a cargo de Ryuu Machiko. O resultado do sucesso pode ser visto em vários eventos dedicados à cultura pop japonesa. Ou senão, várias vezes cantada como encerramento de shows entre vários cantores ligados ao gênero.


Capa do disco single Pegasus Fantasy.
Os temas de abertura e encerramento de Saint Seiya
podiam ser ouvidos por ambos os lados do vinil.

Após a gravação dos álbuns de Saint Seiya, a banda Make-Up acaba e cada integrante segue carreira solo. Nobuo voltaria a gravar uma nova música para a franquia com a canção "Never", do filme Os Cavaleiros do Zodíaco: O Prólogo do Céu -- exibido nos cinemas brasileiros em 2006.


Para comemorar os 20 anos da banda, a Columbia lança a coletânea Make-Up 20th Anniversary Memories of Blue, reunindo em um box de 5 discos os maiores sucessos do grupo. Nobuo volta a ser evidenciado no meio dos animesongs.

NoB1st, o primeiro disco solo de Nobuo Yamada



Em 2005, Nobuo canta pela primeira vez uma música de tokusatsu com o tema de inserção "Madou Kishi Wolzard", da série Mahou Sentai Magiranger (versão original de Power Rangers: Força Mística). Em 2006 passou a cantar vários temas da série seguinte, GoGo Sentai Boukenger (Power Rangers: Operação Ultra Veloz no ocidente), incluindo a abertura. A série comemorou os 30 anos dos esquadrões japoneses. Em 2010 canta o tema de abertura de Tensou Sentai Goseiger (Power Rangers Megaforce no ocidente).

Nobuo já passou por diversos eventos de anime pelo mundo afora. No Brasil, esteve no Anime Friends, em São Paulo-SP, nos anos de 2007, 2009, e seguidamente de 2011 até a edição de 2014. Esteve no SANA nos anos de 2008, 2012 e volta para a edição de 2014.

Os fãs podem acompanhar Nobuo Yamada pelo site oficial do cantor e por seu blog pessoal.