segunda-feira, 30 de junho de 2014

Next Generation: Surge um novo Uchuu Keiji! Estevan (ATUALIZADO)

Novas informações sobre Uchuu Keiji Sharivan: Next Generation estão surgindo aos poucos. Uma nova imagem nos apresenta mais um Policial do Espaço a caminho: Uchuu Keiji Estevan (宇宙刑事エステバン). Ainda não há detalhes sobre o personagem, mas sua aparência lembra o Gavan Bootleg, do filme Kaizoku Sentai Gokaiger vs. Uchuu Keiji Gavan, só que todo dourado. Inimigo ou aliado? Breve, mais novidades.

AT: O ator Ryouma Baba, o Blue Buster de Tokumei Sentai Go-Busters, interpreta o alter-ego de Estevan.



O lançamento do filme acontece no Japão em 10 de outubro para DVD e Blu-ray.

Sabagebu! - A primeira atração da temporada de verão

A temporada de verão dos animes está quase começando. E como recomendação, pude conferir o primeiro episódio de Sabagebu! (Survival Game Club! em inglês). Uma comédia slice of life produzido pelo estúdio Pierrot+, adaptado do mangá de Hidekichi Matsumoto.

A história é centrada na estudante Momoka Sonokawa, que acaba de se mudar para uma nova escola. Certo dia, ela é... tocada por um (velho) pervertido passageiro de trem. O ato não dura muito, até ser salva por uma bela garota que empunhava de uma pistola automática.

Momoka tenta se adaptar com os novos colegas de escola e tentar ser uma garota legal. Ao passar pelos corredores, Momoka vê sua salvadora caminhar livremente com a mesma arma. Ao segui-la para descobrir mais sobre a misteriosa garota, Momoka acaba caindo numa armadilha.

Assim a novata descobre que foi salva por Mio Ootori, cuja é presidente de um Clube de Jogos de Sobrevivência, formada por mais três garotas e um patinho (chatinho!) de estimação. Acidentalmente (vocês devem assistir para entender isso), Momoka assina sua inscrição ao clube. E de uma maneira engraçada. Nas primeiras consequências, Momoka sofre preconceito e bullying das colegas, pois Mio é bastante popular e idolatrada por elas. Passando então por provação para sobreviver.

O anime lembra um pouco uns lances de Tokurei Sochi Dantai Stella Jo-Gakuin Kōtō-ka C³ (anime da temporada de verão de 2013), por exemplo, ao abordar sobre games de airsoft. Só que com um peso mais "ousado"... no bom sentido. Algumas coisas são explicadas pelo narrador de forma um tanto sarcástica, apresentado elementos do game e justificando certos detalhes da trama.

A pré-estreia de Sabagebu! aconteceu neste domingo (29). A estreia oficial acontece no próximo dia 6 de julho às 22:30 no canal UHF TOKYO MX. Seguido dos canais SUN TV, KBS, BS11, AT-X, e pelo portal Bandai Channel.

Policial do Espaço ou Detetive Espacial? Como se referir ao Sharivan?

Policial ou detetive?

Há algumas coisas que sinceramente não entendo quando se referem ao Sharivan como "Detetive Espacial", ao invés de Uchuu Keiji ou Policial do Espaço ou Space Sheriff (tradução oficial para o inglês). Tá certo que o termo "detetive" foi usado apenas para a dublagem da Álamo. OK. Adaptações assim são até consideráveis.

Mas tipo, algumas fontes acabam se referindo ao Gavan e ao Shaider como Policiais. Quando é a vez de Sharivan, acabam "subindo a patente" do cara para Detetive. Se formos traduzir ao pé da letra, o termo em japonês é "Tantei". Tal tradução no Brasil foi herdada pela distribuição da extinta Oro Filmes, que trouxe outros tokusatsus como Machineman e Goggle V, com matrizes vindas da Itália.

"Keiji" traduzido é policial. Então é a mais correta para ser usada, certo?. Vejam bem, não acho errado referir à série de TV como "Detetive Espacial Sharivan" ou "Sharivan, o Guardião do Espaço" quando se trata ao produto da série importada para o Brasil. Agora, quanto aos fator personagem, principalmente agora que ele reaparecerá em Next Generation, os termos mais corretos seriam aquelas três citadas acima.

No entanto, não há porque o herói do combat suit vermelho ser diferente dos demais. Tá certo que o Sharivan foi a melhor série da trilogia e teve uma ótima dublagem, apesar de ter erros de tradução -- contáveis nos dedos. Mas o que acontece na dublagem, fica apenas na dublagem. É isso.

PS: Não estou tirando o mérito de quem prefere assim ou muito menos me dando uma de "hater" por isso, pessoal. Apenas estou comentando essas diferenças de traduções para mostrar qual o mais relevante. Se supormos uma eventual dublagem em português para as novas produções, qual seria a mais correta? O que é oficial ou um erro que ficou nos distantes anos 90? Até mesmo Saint Seiya sofreu correções importantes quando precisou passar pela redublagem.

Haikyū!!

A incrível dupla Hinata (esq.)
 e Kageyama (dir.)
As férias e a Copa continuam (para a minha alegria!) e aproveitei para fazer uma maratona dos episódios de Haikyū!!. O anime está no ar pelo canal japonês MBS desde 6 de abril, nas noites de domingo, das 17:00 às 17:30. Previsto para ter 25 episódios, acompanhamos os 12 primeiros da animação esportiva.

A história conta sobre o estudante Shoyô Hinata, um garoto que passou a amar o voleibol depois de assistir a um campeonato nacional na TV. Após montar o time do Karasuno High School ao longo de três anos, Hinata participa de um torneio na escola e sua equipe é derrotada pelo time do colégio Aoba Josai High School.

A partir de então, Hinata desafia Tobio Kageyama, ídolo de Aoba Josai conhecido como "Dai-Oh-samá", por seu comportamento egocêntrico e anti-coleguista aos demais companheiros de time. Entre os dois é criada uma forte rivalidade.

Para a surpresa de Hinata, Kageyama é transferido para o Karasuno, devido à circunstâncias pessoais no antigo colégio. Daí os dois tem que conviver com suas próprias diferenças e juntos aprenderem a unir suas táticas no vôlei para vencer os futuros desafios de Karasuno.

Haikyū!! é um anime que dosa bons momentos de humor e rivalidade, assim como Kuroko no Basket. Porém com um peso mais "infanto-juvenil" para a trama. Hinata é um tipo de personagem que é desajeitado e o telespectador torce pra que ele se aperfeiçoe no esporte. Momentos cômicos e constrangedores para ele é o que não faltam para quebrar o gelo do programa. Já Kageyama é o oposto, porém tem o seu valor, apesar de esconder o sorriso e ser um cara fechado.

Atualmente a série está no episódio 13 e o time de Karasuno enfrenta o Nekoma High. O anime é baseado no mangá de Haruichi Furudate, publicado pela editora Shueisha. A série de TV é produzida pelo estúdio Production I.G, e possui licenciamento para a América do Norte pela Sentai Filmworks.

sábado, 28 de junho de 2014

Toei deveria dar um tempo em Os Cavaleiros do Zodíaco


Wow! Não se assustem ao ler o título deste post e pensar que estou "enjoado" de Saint Seiya. Não é nada disso, pessoal. Muito pelo contrário, ainda estou no clima do anime e não pretendo acabar tão cedo. Aliás, devo dar um tempinho no assunto aqui no blog, e deixar pra falar mais quando A Lenda do Santuário estiver prestes a ser lançado nos cinemas tupiniquins. Estou preparando postagens referentes à nostalgia do anime na era da Rede Manchete, e espero que todos curtam à beça.

Estou acompanhando as notícias sobre a bilheteria do filme e vejo fontes que se divergem ao afirmarem que o filme foi um sucesso, outras que teve uma estreia mediana, outras que foi um fracasso, e por aí vai. Não vou entrar no mérito da questão, até porque Os Cavaleiros do Zodíaco já não é mais um grande fenômeno que foi no Japão. Há outros animes que estão no topo da preferência japonesa.

É claro que pode o tempo passar e CdZ sempre será o favorito da galera no Brasil, em demais países da América Latina, e na França. Seiya e cia fazem parte da memória afetiva de duas gerações de otakus nestes países e são merecidamente respeitados. No mais, estou em cima do muro quanto à bilheteria internacional.

Mas qual o teor da questão? Vendo essas divergências de informação, me veio a seguinte questão: Não seria uma boa hora pra Toei dar um tempinho pra Cavaleiros e deixar pra trabalhar em alguma obra original do mestre Masami Kurumada? O mangaká está escrevendo atualmente em Saint Seiya: Next Dimension. Sabe Deus quando o homem vai finalizar a história. Do jeito que o homem anda estafado, estamos há 20, ou quem sabe 273 anos longínquos da resolução do mangá. (rsrs)

Enfim, poderia a Toei deixar pra produzir em uma nova mídia da obra quando ela estivesse próxima do final ou quando estivesse finalizada mesmo. Há uma outra alternativa: Saintia Shô poderia dar certo, talvez, nas noites/madrugadas da TV japonesa. Embora não haja planos para uma produção para anime. Mas pelo pouco que li até agora, poderia dar samba sim.

Os últimos três anos nos mostraram que Cavaleiros ainda precisa se revitalizar para o público atual. Por mais que Saint Seiya Omega tivesse uma repercussão mediana ao redor do globo, foi uma boa história. Não o suficiente para alcançar os pés das guerras santas clássicas.

Não desmerecendo o recente reboot que veremos em setembro. Pode ser um sinal de que os defensores de Atena precisam voltar em uma aventura inédita para a TV, desde que sejam na versão da qual estamos acostumados. Mesmo que isso demore um bom tempo...

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Kamen Rider Gaim à beira de uma Terceira Guerra Mundial

Redyue declara guerra à humanidade em rede nacional

[SPOILERS]

Caramba! Vocês viram o episódio 34 de Kamen Rider Gaim? Os Overlords causaram um impacto que outro vilão de tokusatsu jamais deve ter criado em toda a história. Um pré-impacto de uma possível "Terceira Guerra Mundial". Sim, é um "pré" mesmo.

Redyue - o monstro feminino com voz de homem, chegou a declarar em rede nacional uma guerra contra a humanidade. Como consequência, isso deveria ter gerado um grande alerta no universo da Toei série. Um alerta vermelho geral sobre o Japão. Tanto é que mísseis estratégicos chegaram em Zawame City, sem precedência alguma.

Para mostrar o poder do top hierárquico dos Overlords, Redyue imobilizou os explosivos um pouco antes de destruir qualquer coisa por lá e desintegrou-os. Quem precisa de império inimigo dos Super Sentais ou clã maligno de Kamen Rider se os Overlords foram muito mais além? Os caras armaram tudo sem rodeios. Não precisam de mais nada. (rsrs) Não sei você, mais isso me lembrou um pouco uns lances do filme Independence Day, por exemplo.

Fico no aguardo mesmo é pro próximo episódio, que será protagonizado pelo Mitchy. Mal posso esperar pra saber o "mardito" vai aprontar.

Guillermo del Toro confirma animação de Círculo de Fogo


O diretor mexicano Guillermo del Toro confirmou em vídeo nesta quinta-feira (26) que o filme Círculo de Fogo ganhará uma versão animada. Veja a seguir:



Del Toro, juntamente com a Legendary Pictures, confirmaram também a sequencia do filme para 7 de abril de 2017. A Universal assumirá a distribuição, uma vez que a Warner Bros. perdeu o contrato de exclusividade com a produtora.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Buddy Complex

Buddy Complex foi um anime do gênero
 mecha que esquentou durante as
 madrugadas de inverno no Japão
Estou de férias durante a Copa do Mundo e venho aproveitando para - assistir uns jogos do torneio e - tirar uns atrasos de alguns animes que gostaria de ver e que não vi por falta de tempo. Então vou escrevendo um balanço de cada série que for vendo.

Hoje começo falando sobre uma ótima série do gênero mecha. Buddy Complex, cuja a primeira temporada de apenas 13 episódios foi exibida originalmente no inverno japonês, entre 5 de janeiro e 30 de março de 2014, sempre nas madrugadas de domingo pra segunda-feira (24:00 ~ 24:30 JST) da TOKYO MX. Além das emissoras TV Aichi, Yomiuri TV, BS11 (Nippon BS), e ANIPLUS. A produção é do estúdio Sunrise.

A história começa exatamente no dia 1 de setembro de 2014 -- início do segundo semestre do ano letivo escolar. O estudante Aoba Watase, de 16 anos, volta à sua rotina após as férias de verão. Pra variar, ele consegue falar pela primeira vez com Hina Yumihara, a garota mais popular da turma, que aparentemente guarda uma paixão pelo rapaz.

Numa certa hora, Aoba é atacado por um robô gigante e é salvo por Hina, que também possui um mecha. Hina diz para o rapaz que "Dio está esperando" e o envia para mais de setenta anos no futuro. Mais precisamente em 2088.


A dupla Aoba (dir.) e Dio (esq.)
Ao acordar do desmaio, Aoba vê o cenário de um Japão onde há uma terrível guerra entre o Aliança do Pacto Livre e a República Zogilia. Lá ele encontra Dio Jyunyou Weinberg, por quem estava a procurar nesta era. O rapaz é um piloto da Aliança e pilota o mecha Coupling Valiancer Bradyon. Tem uma maneira solitária e carrega um grande senso de justiça. Sem contar que carrega um conflito pessoal mal resolvido que envolve o passado de sua família.

Depois de conseguir provar que veio de nossa época -- o que não foi nada fácil, Aoba passa a pilotar o mecha Coupling Valiancer Luxon. Junto com Dio, conseguem unir os potenciais de seus mechas, formando um Coupling. Isso quando Aoba diz: "Connect with Dio"; e Dio responde em seguida: "Acception".

Para auxiliar a excepcional dupla, a Aliança, formada pelo acordo entre Japão e países da América do Norte e Europa Ocidental, conta com a nave-mãe Cygnus (lê-se: shígnus), comandado pelo Capitão Gengo Kuramitsu, sob vice-liderança de Lene Kleinbeck.

Em contra partida, Zogilia é formada por uma pequena nação que rapidamente evoluiu em uma superpotência, conquistando países vizinhos e expandindo território entre a Ásia continental, Rússia, Europa Oriental e Escandinávia. O Capitão Alfried Gallant é quem comanda a nava Trident.


Hina - aliada na era presente, inimiga no futuro

Durante uma das batalhas contra Zogilia, Aoba reconhece Hina, lutando a favor do exército inimigo. Na realidade, ela é misteriosamente diferente da Hina que o salvou no passado. Esta por sua vez é Hina Ryazan, que é filha de um veterano tenente-comandante militar de Zogilia. Hina pilota o mecha Coupling Valiancer Karura, e tem seu colega Bizon como braço-direito. Ao se encontrar com Aoba, sempre declara morte aos "inimigos de Zogilia". Formando assim uma reviravolta em torno da trama, fazendo com que ambos procurem respostas neste enigma.

Buddy Complex é uma ótima série e um prato cheio para quem curte animes clássicos como Gundam, Evangelion e Patrulha Estrelar, por lembrar ligeiramente de alguns elementos que compõem a história.

Após a estreia na TV, a série passou a ter sua versão em mangá publicado pela ASCII Media Works, desde 27 de janeiro. A mesma editora lança paralelamente, desde a mesma data, o mangá Buddy Complex: Coupling of Battlefield. Inclusive, este mangá possui um RPG digital pela Bandai Namco Games para as plataformas iOS e Android, lançado em 7 março.

Em 1 de junho, o estúdio Sunrise anunciou oficialmente a segunda temporada de Buddy Complex para estreia em outubro que vem. O título oficial atenderá como Buddy Complex: Kanketsu-hen Ano Sora ni Kaeru Mirai de. Como expectativa, o canal TOKYO MX volta a reprisar a primeira temporada a partir do dia 6 de julho, em novo horário nas madrugadas de domingo para segunda: das 24:30 às 25:00.


Aoba e Dio contemplando o pôr-do-sol ao lado
 dos mechas Luxon (branco) e Bradyon (vermelho)

PS: Fica a dica pro tema de abertura "Unisonia", da cantora Miho Karasawa. Empolgante demais!



24 Horas: Salvação e morte de personagens são polêmica na internet

A salvação do Presidente Heller é um dos assuntos
mais comentados pelos fãs da série

[SPOILERS]

Navegando pelas redes sociais e alguns sites especializados em séries americanas, vejo que o assunto do momento é sobre 24 Horas: Viva um Novo Dia, quanto Presidente James Heller ter sido salvo por Jack Bauer e Chloe O'Brian, antes que ele fosse sacrificado por um míssil de um drone para cessar os ataques em Londres, pela autoria de Margot Al-Harazi, que morreu no episódio desta semana (leia mais aqui).

Vejo que há alguns telespectadores que, digamos, estavam torcendo pela morte de Heller. Como assim? Simplesmente o episódio da semana passada deu a entender que Heller tinha realmente partido dessa pra melhor após o ataque contra o Estádio. Daí alega-se coisas como: "Heller deveria ter morrido", "Os roteiristas nos fizeram de idiotas", "A temporada seria inovadora com a morte do Presidente", e coisas afim.

Agora acompanhem meu raciocínio, meus amigos. Só pelo fato de Jack ter conseguido salvar Heller já é muita coisa. Não acham? Aliás, Jack já perdeu vários entres queridos ao longo dos oito dias. Por que não ser diferente agora? Faz até sentido não ter o silent clock no final do sétimo episódio. Uma pista de que o homem não morreu. Mas quem iria imaginar que o Heller ainda estivesse vivo pelo jeito que terminou o capítulo, né? Não vejo motivo pra tanto "protesto" na web.

Outra coisa que ouvi por aí de ontem pra hoje foi quanto ao fato de Jordan Reed morrer por "não ser um personagem principal da temporada". Ele é sim, desde que o ator Giles Matthey estava escalado para o elenco fixo. Afinal, se você que viu a série original, vai lembrar que tivemos alguns personagens do elenco fixo que morreram durante um determinado "dia". Não preciso nem citar. É só conferir às listas. Mas não é isso que faz um personagem ser grandioso, como no caso de Reed.

Bom, eu estou acompanhando atentamente cada episódio e conseguindo manter a ansiedade semanal para ver o que acontece no episódio seguinte. 24 Horas: Viva um Novo Dia está tão bem construído, mas tão bem construído, que as três temporadas anteriores já não fazem mais falta. Justamente pelo fato dessas terem momentos forçados e qualidade fragilizada. A temporada atual está impecável, caso não tenham percebido, a ação está muito explícita. Tá certo que os terroristas de 24: LAD foram bem esquisitos, mas ainda assim nos deixa com muita raiva na veia.

O jeito é torcer pra que essa peteca não caia nos próximos três episódios finais.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Kuroko no Basket chega ao Brasil pela Panini

O mangá Kuroko no Basket chega às bancas em julho pela Editora Panini. A novidade foi anunciada recentemente na Fest Comix. O título oficial em português ficou como: Kuroko no Basket - O Basquete de Kuroko.

Confira a capa do material brasileiro e a semelhança entre a primeira edição do mangá original:



No Japão, o mangá está atualmente em sua 28ª edição. Já foram ao ar duas temporadas do anime e a terceira deve pintar ainda em 2015.

Nono episódio de 24 Horas: Viva um Novo Dia é o melhor até o momento

Mais um dia está chegando ao fim para Jack

[SPOILERS]

Não, não, não. Eu não posso acreditar! Ou melhor... sim, sim, sim. Ele não morreu! O Presidente James Heller ainda está vivo! Isso mesmo, caros leitores. Quem assistiu ao nono episódio de 24 Horas: Viva um Novo Dia, exibido nesta semana nos EUA e no Brasil, certamente teve um alívio ao saber que o homem mais poderoso do mundo sobreviveu o ataque do míssil que atingiu o Estádio Wembley. Sobreviveu nada. A Chloe foi quem "sabotou" a câmera do drone e deu um jeitinho pra que o homem parecesse que ainda estava no alvo no momento do disparo.

Logo Margot Al-Harazi e seu filho Ian perceberam que algo estava errado -- pro lado deles. Que Heller ainda está vivo e Jack o ajudou. Bem, cinco drones foram afundados antes dos vilões se tocarem e um ainda estava no ar. Este último foi em direção a um metrô de Londres, a Estação Waterloo.


Kate em contato com Jack

Jack voou (de helicóptero) para lá e foi ao encontro da megera. Teve lá uns tiroteios e Jack meteu bala nos caras maus. Kate Morgan e Erik Ritter, ambos da CIA, também o ajudaram do outro lado. O episódio chega ao clímax. Jack escala o prédio e Ian dispara um tiro contra ele. O disparo não pega no nosso herói, mas quando o garoto chega à janela, Jack o pega prelo braço e puxa para fora do prédio.

Como Margot estava desesperada para lançar o último ataque, antes que algo falhasse, ela disparou o míssil. Com a ajuda de Chloe, Jack consegue desviar o míssil para o lago. Agora a cena final entre Jack e Margot -- que ganhou o icônico título de "mother of year" -- foi pra marcar esta temporada. Margot algo como: Você e Heller são os responsáveis pelas mortes de milhares de pessoas. Jack diz: Eu serei o responsável apenas por sua morte. E assim arremessa a mulher para fora do prédio. Poxa, a cena foi explícita como nunca houve em toda a série! Final merecido pra uma vilã que já tava dando nojo. Pelo menos pra mim...


O fim da "mother of year"

Termina um problema e outro cresce. Pra complicar as coisas pro lado de Navarro, Jordan Reed morre junto com o atirador que foi contratado para matar o analista da CIA. Os corpos foram encontrados e Kate fica perplexa com o que aconteceu com o colega de trabalho.

Ao mesmo tempo que Jack investiga o dispositivo de controle dos drones, ele resolve ajudar Kate para saber se há alguma relação com os ataques do dia. Poxa, e Navarro disfarça bem ao dizer que não sabe de nada. Jack descobre que o chefe da estação da CIA está envolvido com o atirador que morreu, e o assassino era um agente secreto contrato por ele.


Coisa feia, hein, Navarro!...

Como é de praxe da série, a correria começa quando Navarro foge com o dispositivo e é perseguido por Jack. Mas ele foge a tempo e marca um encontro com Cross para fugir do país e deixar o dispositivo com ele. Aliás, o que Cross quer afinal com isso? Pelo que se deu a entender no desenrolar da trama, os agentes-duplos nada tem haver com os ataques de Al-Harazi. Mas nunca se sabe, né? 24 Horas é imprevisível até a gota. Poxa, e pensar que Cross usará Chloe para armar o dispositivo. E logo a Chloe que nem suspeita de nada e "pulou do barco", deixando Jack a resolver tudo sozinho. Saí daí, Chloe! Damn it! Enfim, isso vai pegar fogo e mal posso esperar pela próxiam semana. Faltam apenas três episódios para a série acabar.

Este, sem dúvida, foi o melhor episódio de toda a temporada. E pensem aí como xinguei muito o Navarro e o Cross em casa (até um certo limite)... 24 Horas faz isso mesmo com qualquer telespectador fidelíssimo. Impossível escapar dessa adrenalina.


Sabe de nada, Chloe. Damn it!

+ Último episódio de 24 Horas: Viva um Novo Dia terá representação de 13 horas

+ Desaparecimento de Jordan Reed pode fazer "a casa cair" para agentes duplos em 24 Horas: Viva um Novo Dia

+ 24 Horas: Viva um Novo Dia - O Sacrifício do Presidente Heller

Predador ganha reboot


O Predador, uma das criaturas mais horrendas do cinema hollywoodiano, volta com um reboot dirigido por Shane Black. O mesmo que roteirizou Maquina Mortífera, Beijos e Tiros e Homem de Ferro 3, tendo dirigido também os últimos dois citados.

Segundo o Hollywood Reporter, Shane escreverá o rascunho do roteiro, e daí supervisionará os textos e comandará a direção. Aguardemos o resultado.

Fofão ganha seu próprio desenho animado


Já era sem tempo. Segundo a coluna Outro Canal, da Folha de S. Paulo, Fofão, um dos grandes ícones da cultura pop oitentista brasileira, terá seu próprio desenho animado. A produção será da Farofa Studios. Inicialmente terá uma versão experimental via web e logo seguirá em negociação para algum canal pago infantil.

Pra quem não lembra, ou é mais novinho, Fofão foi um personagem do extinto programa do Balão Mágico, da Rede Globo, nos anos 80, cujo é natural do planeta Fofolândia (?!). Ele passou também pela emissoras Bandeirantes e CNT/Gazeta durante a década de 90. Isso sem contar com vários discos que lançou, sendo o de 2007, Mundo Novo, o mais recente de sua discografia.

Fofão é interpretado pelo humorista Orival Pessini, que também é conhecido por outros personagens, sendo o Patropi o mais icônico e querido pelo público.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Naomi Morinaga, a pequena notável dos tokusatsus

Naomi Morinaga no auge de sua juventude
 como Annie na série Shaider (1984)
Continuando sobre os Uchuu Keiji, antes das estreias dos V-Cinemas Next Generation, hoje vamos falar sobre uma atriz que está de volta para reviver uma personagem querida pelos fãs da primeira trilogia dos heróis metálicos.

Naomi Morinaga, nascida na província Kanagawa no dia 12 de março de 1964, é uma das belas atrizes de tokusatsu que encantam o público masculino com sua doçura e tornou-se um dos maiores sex symbols de sua geração, na terra do sol nascente.

Seus primeiros contatos com o mundo dos tokusatsu foram nos episódios 29 de Taiyou Sentai Sun Vulcan (29 de agosto de 1981) e episódio 22 de Dai Sentai Goggle V (3 de julho de 1982). Naomi foi treinada pela equipe da JAC (Japan Action Club; atual JAE - Japan Action Enterprise) e atuou como Annie, a parceira do Policial do Espaço Shaider na série homônima de 1984. Ela supriu as cenas de ação na forma civil, pois o finado ator Hiroshi Tsuburaya (1964-2001) não sabia lutar. O resultado foi que ela acabou roubando várias cenas de ação durante a série, e com direito à cenas de Panchira -- filmagens que deixavam as calcinhas à mostra e que era comum na época, e deixava marmanjos babando em frente à TV.


Naomi se destacou com sua desenvoltura nas batalhas contra os seres espaciais e chegava a dispensar dublês. Foi um destaque e tanto para uma jovem atriz de apenas 20 aninhos, que escondia tal força por trás de tanta beleza. Naomi podia não passar muito longe de ter um jeitinho de princesa, mas assim mesmo conseguiu chamar atenção do público masculino com sua meiguice e graciosidade.

+ Hiroshi Watari - o lendário herói da Estrela Iga

+ Ponto de Vista - Shaider: uma tentativa frustrada


Naomi como Helen em
Jikku Senshi Spielvan (1986)
O sucesso de Annie foi tanto que o ilustrador Keita Amemiya assumiu o roteiro de um mangá baseado na heroína, antes do mesmo ser consagrado como um dos maiores diretores de cinema e TV.

Naomi passou a atuar em alguns dramas na TV japonesa, até interpretar a personagem Helen na série Jikku Senshi Spielban (Guerreiro Dimensional Spielban ou Jaspion 2: Spielvan no Brasil). Tratava-se da irmã do herói, protagonizado pelo ator Hiroshi Watari, que fora sequestrada junto com seu pai pelo Império Water (Waller no original) e era possuída a se transformar em Herbaira (Hellvira).

A personagem rendeu-lhe bons momentos de drama e suspense durante à serie, e logo passou a ter sua própria armadura -- idêntica ao da heroína Lady Diana. Passando então a se integrar como a primeira Metal Heroine secundária da franquia. A atriz ainda interpretou a lindíssima música "Kanashimi no Helen" (A tristeza de Helen), que era o tema da mesma.


Naomi contracenou com Hikaru "Jaspion" KurosakiKenji "Gavan" Ohba e grande elenco na versão cinematográfica em live-action do mangá Igano Kabamaru, produzida pela Toei em 1983. Participou rapidamente do filme Kamen Rider ZO (lê-se: Zettou), em 1993. A atriz pousou nua em diversos ensaios fotográficos e participou de um drama erótico. Contrariando as boatarias que rolam na tokunet brazuca, ela jamais foi uma atriz pornô.

No Brasil, Naomi foi dublada em 1990 pela carioca Marisa Leal (Baby/Ariel/Dotty) como Annie; e pela paulista Patrícia Scalvi (Elvira/Pérola/Luna) como Helen.

Naomi Morinaga se afastou dos holofotes em 1998 e causou-se em seguida. Agora, após um jejum de 16 anos do meio artístico e 29 depois do final de Shaider, ela retoma como Annie no especial Uchuu Keiji Shaider: Next Generation, previsto para o lançamento em DVD/BD em 7 de novembro.

Aliás, ela não mudou muito para quem chegou à casa dos 50, hein?




segunda-feira, 23 de junho de 2014

Último episódio de 24 Horas: Viva um Novo Dia terá representação de 13 horas

24 Horas: Viva um Novo Dia está no ar desde maio passado e está prestes a ter o seu final exibido nos EUA e no Brasil. Já era esperado que houvesse 
saltos no tempo

durante a limited series. Conforme sendo divulgados os títulos dos episódios havia-se a especulação de que teria um pulo de 12 horas, podendo ser o episódio final servindo como um epílogo.

Os dois últimos episódios acabam de terem seus títulos revelados. O décimo segundo e derradeiro episódio se passará entre dez da noite e onze da manhã do dia seguinte! Portanto uma representação de treze horas. Algo inédito na série e que não ocorrerá em tempo real.

[SPOILERS]

Especula-se que Jack poderá sair de Londres e voltar para Los Angeles. Uma viagem entre as duas cidades dura cerca de onze horas. Poderia assim haver um desfecho onde Jack volta para sua filha Kim e recomeça uma vida normal ao lado da família após quatro longos anos fugindo das autoridades russas. Lembrando que Jack foi perdoado pelo Presidente James Heller, antes do mesmo morrer no episódio da semana passada.

Kiefer Sutherland, o ator que vive na pele do anti-herói, brincou em entrevista à imprensa americana que haverá um "fechamento" na saga, e que "não vai ser amarrado como um laço".

O curioso é que as últimas dez páginas do series finale foi omitido aos próprios atores. Uma surpresa até para quem está atuando.

24 Horas: Viva um Novo Dia chega ao seu final em 14 de julho nos EUA e no dia seguinte no Brasil. A série vai ao ar pela Fox Brasil todas às terças-feiras às 22h40.

sábado, 21 de junho de 2014

Analisando ToQger, o Sentai é uma série interessante


Quando Ressha Sentai ToQger foi anunciado para ser o 38º Super Sentai, muitos fãs de tokusatsu xingaram o visual por temerem em parecer que fosse uma série "infantil", "idiota" ou "mongolóide" demais. Já se passaram 16 episódios e justiça seja feita: ToQger é uma boa série. Pode sim ela ter seus momentos infantis, mas não chegam a retardar o roteiro. Muito pelo contrário, ela apresenta um conceito interessante sobre trens como pano de fundo ou tenta ir além disso. Antes eu havia escrito minhas primeiras impressões no blog (leia mais aqui e aqui). Agora faço minha análise dos principais pontos da série.


[SPOILERS]

Um breve balanço sobre os personagens:

Right/ToQ 1-gô (ichigô) é um líder sonhador, pacífico e determinado. Ele é o membro que tem um forte potencial para usar o Imagination. Não chega a ser um Red estranho como Alata (Gosei Red), apesar da aparência andrógena. Me convenceu no fim das contas, apesar de ser insensato em algumas ocasiões. Um personagem pacato.

Tokatti/ToQ 2-gô (nigô) é o segundo no comando do grupo. Intelectual, porém um tanto maltrapilho. Está sempre disposto a investigar os ataques da Shadow Line, embora seja muito atrapalhado. Sua aparência lembra ligeiramente lembra o personagem Noah Carver, o Blue de Power Rangers Megaforce e Super Megaforce. Se destacou no episódio 10, onde quase dribla sua própria morte -- chegando a ter uma referência às batalhas de sentais clássicos ao pôr-do-sol.




Mio/ToQ 3-gô (sangô) é uma dos membros mais poderosos da equipe. Sempre alegre, se comporta como uma "irmã mais velha" dentre os cinco heróis. Ela não tem segurança quando o assunto é romance. Até aqui, o melhor episódio em que ela protagonizou foi o de número 9, onde se apaixona por um rival de corridas e tem que salvá-lo dos inimigos.


A graciosa Kaugra/ToQ 5-gô
Hikari/ToQ 4-gô (yongô) é outro que é um dos mais poderosos e inspira um gênio de rivalidade. Tem como passatempo seu kendama de estimação. É o mais tranquilo dos ToQger, do tipo anti-social/solitário, e velozmente mais inteligente que Tokatti. Mas se reserva a mostrar suas qualidades. No começo, achava um personagem "apático" e "inexpressivo". Mas com o tempo ele ganhou o meu respeito. É de longe o melhor personagem do quinteto e o melhor episódio dele foi quando protagonizou o episódio 14, fazendo o papel de detetive para salvar seus companheiros.

Kagura/ToQ 5-gô (gogô) é aquela que, depois de Right, é a que tem um Imagination elevado. Chega a duvidar de sua capacidade algumas vezes, e lida com esse problema ao elevar sua auto-confiança. Apesar de ser a mais infantil, consegue conquistar com sua docilidade e determinação.



Quanto aos mechas de ToQger, enquanto trens são bonitos. O primeiro robô gigante do sentai, Ressha Gattai ToQ-Oh, tem um visual estranho e atípico. Porém de capacete bem feito. Mas o mecha mais legal sem dúvidas é o Ressha Gattai Diesel-Oh, formado por um antigo mecha, o Diesel Ressha que passou a ser estimado por Right. No gattai (combinação/fusão), mais dois mechas formam o robô gigante: Tank Ressha e Car Carrier Ressha. Os ToQger também contam com os Support Ressha para serem utilizados como armas dos mechas.


Diesel-Oh -- o robô gigante secundário dos ToQger
O novo esquadrão tem uma técnica inédita na franquia Super Sentai: a Norikae Change. Trata-se da troca de cores. Para quem não sabe, isso faz parte de um conceito que envolve a troca de trens no Japão denominada como chokutsu (interligado).

Ainda não me acostumei com isso. É tudo muito confuso na hora da luta ver, por exemplo, Right com o uniforme de Kagura, e por aí vai. Não creio que isso deve vingar nos próximos sentais.

Os aliados são estranhos e divertidos. Há o Condutor (Shashô em japonês) que carrega o fantoche Ticket. No início da série, vemos que os dois aparentam ter personalidades distintas. Mas em um dos episódios, Hikari flagra silenciosamente o Condutor com a mão direita livre e separada de Ticket. Detalhe: o boneco estava sem "vida" na hora. (kkk) Certamente o segredo deverá ser explorado no futuro. Enquanto isso, o segredo fica guardado apenas na discrição de Hikari. Há também a robô Wagon, que é uma espécie de "Colon" do sentai Liveman (de 1988). Ela é apenas uma androide graciosa e não passa muito disso. Ou melhor, ela é dublada por uma das mais renomadas seiyus do Japão: a dubladora Yui Horie.



Do time do mal, os Shadow Line são vilões sombrios. Não tão assustadores quanto os seres malignos dos anos 70 e 80, por exemplo. Mas estes tem o seu valor e até lembrar um pouco os vilões clássicos da era Showa. No episódio 3, por exemplo, aparece o monstro Chain Shadow. Numa luta entre a ToQ 5-gô, a cena lembra alguns elementos dos monstros dos sentais oitentistas.

Atualmente o grupo se encontra em uma reviravolta com a chegada do imperador das trevas Zed. Tendo uma aparência humana (o único até agora dentre o império), ele é misterioso e diferente dos demais de seu clã, pois possui uma necessidade por luz. Zed é prometido para casar com Gritta, a única filha de Madame Noir, que é apaixonada por General Schwarz. Gritta se recusa a casar com o imperador, pois é "nova demais" para ele. Há um motivo maior desconhecido, o que pode gerar surpresas futuramente. A vilania deste ano merece respeito e chegam a quebrar o alívio cômico dos heróis.



ToQger pode não ser o melhor Super Sentai da história até o momento -- e acho que não chegue a tanto, mas tem uma boa premissa que vai além das aparências. Sua infantilidade não é algo que venha a incomodar o mais maduro dos fãs dos super esquadrões. A trama é equilibrada, agradável, e procura apresentar bons episódios e um bom andamento na evolução dos personagens, na sua própria maneira.

A série é mais um daqueles sentais que são injustamente escrachados, pré-julgados, ou por quê não dizer subestimados pela aparência antes de um lançamento. Tudo não passou de uma "tempestade num copo d'água". Isso vai acontecer pra sempre enquanto um novo esquadrão surgir. É inevitável, né? Mas não deveria. Como diz um certo pensamento -- "não se deve julgar um livro pela capa, pois pode-se perder uma história incrível". O mesmo acontece com uma série de TV japonesa com super-heróis coloridos e que pode esconder uma boa moral. Tudo depende do imaginaaaaaaaaaaaation de quem realmente acompanha.

Agora é torcer pra que a qualidade da série melhore daqui pra frente.


Bônus:

E que venha o ToQ 6-gô (roku-gô) neste mês! O sexto integrante, que está previsto para estrear no dia 22 de junho, no episódio 17 da série, é o primeiro Ranger Laranja oficial dos sentais desde Battle Cossack da série Battle Fever J. Embora alguns considerem DekaSwan de Dekaranger como da mesma linhagem. O alter-ego de ToQ 6-gô é Akira Nijino, interpretado pelo ator e modelo Shin Nagahama (28). Será o primeiro 6º Ranger a ter uma forma monstruosa originada de um clã maligno.



sexta-feira, 20 de junho de 2014

Desaparecimento de Jordan Reed pode fazer "a casa cair" para agentes duplos em 24 Horas: Viva um Novo Dia

Momento em que Jordan é ferido pelo atirador

[SPOILERS]

Voltando sobre o episódio da semana de 24 Horas: Viva um Novo Dia, a casa está pra cair pro lado dos agentes-duplos da temporada: Steve Navarro (da CIA) e Adrian Cross (da Open Cell). Se estão acompanhando a série, devem saber que os dois armaram uma emboscada para o garoto Jordan Reed -- também da CIA -- quanto às suas possíveis buscas de provas que inocentariam Adam Morgan, o marido de Kate que estaria envolvido em fornecer informações secretas e ter se suicidado após acusações.

A coisa está fedendo pro lado dos vilões, pois Kate já está estranhando o sumiço do rapaz, que foi pegar uma encomenda de Navarro. Que na realidade foi uma cilada para sua morte. Claro que Navarro negou tudo. Oras, ele não iria levantar uma suspeita pra si. Concordam?

Isso pode deixar o cerco mais fechado pro vilões nos próximos episódios, e acredito que não está muito longe. Afinal, temos apenas quatro episódios pro desfecho. Ainda não tem como saber se Jordan sobreviveu ao segundo ataque do atirador, uma vez que ele foi esfaqueado. A coisa vai esquentar pra valer, embora Jordan não seja um grande personagem da temporada.

Outra coisa que ainda não foi revelado: se essa parceria entre Navarro/Cross tem alguma relação com os ataques de Margot Al-Harazi. Isso só saberemos direito nos próximos episódios.

A lógica é que Kate fique no encalço da dupla.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Primeiro trailer dublado de Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário

Finalmente está no ar o primeiro trailer dublado em português do filme Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário. O vídeo estará em breve nas salas de cinema de todo o Brasil com o selo da distribuidora Diamond Films.



Estreia neste sábado, 21 de junho, no Japão; e em 11 de setembro no Brasil.

Gunblade, a nova obra de Koichi Sakamoto para 2015 na Coréia do Sul

Koichi Sakamoto, diretor conhecido pelas produções de Power Rangers e de tokusatsus originais japoneses como Kamen Rider Fourze, apresentou nesta semana no evento Licensing Expo 2014 (em Las Vegas) o seu novo trabalho. Gunblade, tokusatsu sul-coreano, está previsto para ir ao ar a partir de março do ano que vem. A série deve chegar ao EUA e Europa em janeiro de 2016.

Gunblade é produzido pela Gunblade Culture Industry SPC e pela filial A mate Inc.. A história conta sobre uma unidade de missões especiais denominada Gunblade Team, que é formada por seis integrantes na luta contra Dr. Dexter e seu supercomputador OlympusCom planos para destruir a humanidade, Dexter ressuscita o antigo clã Gothic, que havia sido selado em tempos remotos.

Os membros do Gunblade Team possuem o GB Drive. Uma espécie de smartphone futurístico que dão auxílios de grande interação durante as batalhas, incluindo acesso de transformação.

A produção tem custeio de $20 milhões de orçamento e as filmagens começam em agosto. Enquanto isso, veja o episódio-piloto apresentado no evento americano:

24 Horas: Viva um Novo Dia - O Sacrifício do Presidente Heller


[SPOILERS]

Nesta semana foi apresentado o episódio mais triste de 24 Horas: Viva um Novo Dia. O oitavo episódio da limited series teve algumas referências quanto à morte do Presidente James Heller, e de forma "poética".

Não sei quanto a você que assistiu, mas lembrei dos sacrifícios de personagens importantes da extinta CTU. Como George Mason no Dia 2 e Ryan Chappelle no Dia 3. No caso de Mason, ele estava infectado por uma radiação e tinha um dia ou uma semana de vida, e levou a bomba que destruiria Los Angeles de avião até o deserto. Quanto ao Chappelle, teve ser assassinado por Jack e seu corpo ser entregue aos terroristas, a pedido de Stephen Saunders.


Compare agora com as situações: Heller foi diagnosticado com Alzheimer e não estava aguentando mais a pressão de ser acusado pela morte do marido de Margot Al-Harazi e ver cidadão ingleses sendo mortos inocentemente. Resolveu dar a vida para resolver de uma vez a situação.

Por outro lado, foi poético em certo ponto. Quando Chappelle foi entregue, o dia estava raiando e faltava cerca de meia hora. Foi levado de helicóptero por Jack. Agora com Heller, ele foi levado pelo veículo ao anoitecer. E que vista noturna linda de Londres! Foi tocada até a BGM do momento quando Chappelle foi levado para a morte.


Tá certo que não justificava ele ter negociado com Margot. É a política americana. Mas o homem estava preparando a sua renúncia e queria ver tudo isso acabar. Deu pra entender o lado dele, né? O que ainda não deu pra entender foi como ele obteve o contato direto com a terrorista e de maneira tão natural.

Apesar do pesar, Heller dedicou seus últimos minutos de confiança ao Jack e ao Mark. Não contou nada para a filha Audrey e pediu a ela para ver a foto de quando eram mais jovens. Detalhe para a foto, que certamente era do ator William Devane quando mais novo.

Foi uma morte triste. E como última boa ação, Heller deu perdão presidencial ao Jack pelos crimes que cometeu há quatro anos atrás. Mesmo Jack não querendo, ele merece essa redenção depois de tudo o que passou e ainda vai passar nos próximos quatro episódios finais.

Cavaleiros: expectativas para A Lenda do Santuário


Estamos a três dias da estreia de Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário no Japão. O filme é bastante aguardado por uma multidão de fãs da série -- e eu me incluo nesse rol. Acredito que boa parte, ou senão a maioria, está confiante de que o filme possa procurar ser fiel naquilo que pode ser possível em apenas uma hora e meia de duração para resumir a saga das Doze Casas. É normal que esse tipo de produção sofra adaptações e seja acrescentado algo mais.

Quando o filme foi anunciado pela Toei Animation, houve bastante expectativa quanto a um filme em CG de Saint Seiya. Os visuais de cada personagem foram sendo revelados aos poucos. Muita gente ficou assustada ao ver. Parecia um Final Fantasy da vida ou coisa assim. Mas não precisa ser exatamente iguais ao anime. Até a série de TV teve suas alterações quando foi adaptado diretamente do mangá. Aliás, o novo filme não muda em nada na série que conhecemos. Podemos assistir a vontade as sagas oficiais quando quisermos, seja na TV ou por DVD, ou até ler o mangá. A Lenda do Santuário é apenas uma adaptação para o cinema e não é nada que atrapalhe o cannon de Masami Kurumada. O jeito é assistir com a menta aberta e ter a consciência de que é apenas uma história à parte.

Bom, acredito eu que o filme possa divertir os fãs como foram apresentados nos trailers. E que não haja nenhuma surpresa desagradável (quem não tem nervos de aço, não procurem os spoilers que estão pela net afora). Os japoneses estão ansiosos com a estreia neste fim de semana. Nós aqui no Brasil estamos na expectativa e torcendo pra que seja um bom filme e que faça sucesso nas telonas com a elevação do cosmo. E que setembro chegue logo com esperanças renovadas para a estreia nacional, no mês em que o anime clássico comemora duas décadas na terra do Cristo Redentor. Assim todos nós esperamos.

Quando esse dia chegar, quero acompanhar lançamento e comentar minhas impressões. Até lá, fico revendo a série clássica pra continuar no clima.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Bloodlines - o episódio de Supernatural com cara de outra série

Ennis Ross (Lucien Lavinscount) seria o
protagonista de Supernatural: Bloodlines

Nesta segunda-feira (16), foi exibido pela Warner Channel (com "apenas" 48 dias de atraso) o vigésimo episódio da nona temporada de Supernatural intitulado "Bloodlines". Este episódio serviu como piloto para o pretendido spin-off da série que a The CW queria fazer chamado Supernatural: Bloodlines (anteriormente Supernatural: Tribes). Mas acabou sendo cancelado antes do anúncio da temporada 2014-15 do canal.

O episódio nos apresentou os possíveis protagonistas da série, cujos são caçadores que investigam casos sobrenaturais na cidade Chicago em meio à rivalidades. No episódio, os irmãos Dean e Sam Winchester vão para lá para investigar uma família de uma máfia de monstros, cujos são desconhecidos para a civilização humana. Isso envolve diretamente os protagonistas de Bloodlines.


  • Ennis Ross (Lucien Lavinscount) - seria o protagonista da série cancelada. Um humano que queria ser um policial. Ele se torna um caçador após ter sua namorada assassinada por um misterioso homem com garras de prata, no início do episódio.
  • David Lassiter (Nathaniel Buzolic) - um metamorfo que veio de uma das cinco famílias dominantes de monstro em Chicago. Ele tentou viver como um ser humano, mas uma tragédia o obriga a trabalhar como antes.
  • Margo Lassiter (Danielle Savre) - ela é irmã de David e também um metamorfo como ele. Ela ambiciona a liderança de sua família.
  • Violet Duran (Melissa Roxbough) - uma lobisomem de outra família governante de monstros. Ela tem um envolvimento romântico proibido com David.
  • Julian Duran (Sean Faris) - irmão de Violet e arqui-inimigo de Ennis.
  • Freddie Costa (Stephen Martines) - um velho amigo do pai de Ennis. Ele é um policial que está cansado do mundo e guarda um segredo.


Os Winchester aparecem em poucas cenas, para dar mais espaço aos personagens principais de Bloodlines. Os dois até tentam ajudar Ennis quanto ao garoto querer ser um caçador, mas ele se recusa ao ouvir e toma sua própria maneira de agir, até que ele resolve unir suas forças para salvar alguém importante na trama.

O episódio deixou claro a rivalidade entre os Lassiter e os Duran, pelo amor proibido entre David e Violet que pode desencadear uma guerra entre as duas famílias neste submundo.

Foi um bom episódio e o melhor da atual temporada. Mas não o melhor da série. Gostei dos personagens e Supernatural: Bloodlines tinha tudo pra bater de frente com The Vampire Diaries. O clima é bastante diferente da série original e é centrada no "jogo de poder" entre as famílias de monstros. Com certeza seria inovador e fugiria do formato desgastado que Supernatural vem levando nos últimos anos.

"Bloodlines" pareceu uma série dentro de outra série. Essa é a impressão que pode-se considerar ao assistir o episódio. Os personagens seriam até mais interessantes do que os próprios Winchester, que estão bastante carrancudos com toda a monotonia que toma conta agora nesta mitologia.


Mais um trailer de expectativa de A Lenda do Santuário

Faltam quatro dias para o lançamento do filme Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário no Japão. E para completar mais uma enxurrada de trailers, saiu mais uma do forno e certamente o melhor até agora. Assistam:


No vídeo vemos Saori/Atena sendo atacada e perseguida por um Cavaleiro do Santuário. Logo Seiya salva-a e saca um pingente com uma marca de Pégaso e abre-se um grande círculo de luz que gera sua Pandora Box. Assim Seiya veste sua armadura de Pégaso de forma espetacular. Os demais Cavaleiros de Bronze surgem com seus golpes. Atentem para Hyoga e sua moto.

Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário estreia neste sábado, 21 de junho, no Japão e 11 de setembro no Brasil!

TV Metrópole, de Caucaia-CE, comete erro grotesco com Cavaleiros do Zodíaco

O grande encontro entre Saga e Seiya
 foi atrapalhado pelo "filho" de Ziraldo

E a nossa "querida" TV Metrópole, de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza-CE), comete a pior gafe com o anime Os Cavaleiros do Zodíaco. E o que é pior, naquele que é um dos melhores episódios de toda a série. Trata-se do episódio 71, onde Seiya chega até o salão do Grande Mestre e enfrenta Saga de Gêmeos, no final da saga das Doze Casas.

O problema foi o seguinte: Nesta segunda-feira (16), antes de ir ao ar, foi exibido um episódio do Homem-Pássaro. Ao terminar, do nada o sinal passou para a TV Escola, cuja emissora faz parte da sua programação retransmitida. O que acontece? O canal fica sem sinal por alguns segundos e volta com a logo da emissora local. Tudo no mais perfeito silêncio.

O problema foi quando o episódio foi ar com a dublagem da Álamo e com o áudio da TV Escola vazando por cima. Foi tenso demais ter que ouvir "Meteoro de Pégaso", "Morra, Seiya!" com o áudio do programa Um Menino Muito Maluquinho.

Eu já falei aqui no blog que a TV Metrópole tem uma programação muito bagunçada e é bem mais que a Rede Brasil. Já disse uma coisa em palestra e falo agora por aqui: Os Cavaleiros do Zodíaco com episódios na ordem pela TV Metrópole é pura sorte. Não mais que isso. O canal tem uma programação bastante imprevisível quanto à tabelas de programação e cronologia de determinado programa. E jamais respeitou o público alvo, que são os nostálgicos.

Tudo bem que fossem resolver o problema e tal, mas abandonar o problema e deixar assim mesmo é um absurdo. Falta de respeito total com o telespectador.

E eles que vão para uma outra dimensão!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Hiroshi Watari - o lendário herói da Estrela Iga

O herói Den Iga está de volta no inédito especial Uchuu Keiji Sharivan: Next Generation em outubro próximo. Nada melhor que falar sobre o ator japonês que viveu este grande personagem e que o reprisará nesta nova produção da Toei Company.

Hiroshi Watari é uma das lendas vivas do tokusatsu, especialmente se tratando do gênero Metal Hero. Nascido em 20 de março de 1963, em Niigata-Japão, ele sempre admirou os heróis de tokusatsu, como Ultraman e Kamen Rider. O dublê que ele mais admirava era Shinichi Shiba (ou Sonny Chiba atualmente), desde os tempos da antiga série dramática Key Hunter.

Hiroshi Watanabe, seu nome de batismo, é um grande exemplo de superação e perseverança. Ele resolveu tentar enveredar na carreira de ator. Foi numa madrugada do ano de 1977, época em que cursava o 3º ano do ginásio, que fugiu de casa para ir à Tóquio e procurar a sede da JAC (Japan Action Club; atual JAE - Japan Action Enterprise). Para a sua frustração, o escritório havia mudado de endereço.


Antes de ser ator, Watari seria o dublê de Gavan
 em alguns episódios, como parte de seu trabalho

Hiroshi tentaria mais uma vez no verão de 1980. O então estudante do 3º ano colegial teve que mentir para seu pai com a desculpa de ir numa excursão do time de ginástica e que seria um técnico do mesmo. Assim o garoto Hiroshi voltou para Tóquio. Ele estava com o endereço correto da JAC. Só que não havia recrutamento para novos dublês até então. Hiroshi perguntou mais uma vez se não tinha algum jeito de ser integrado, e logo foi respondido de que ele deveria tentar novamente em março do ano seguinte, quando haveriam testes.

Faltavam 6 dias para acabar a tal "excursão". O garoto Hiroshi teve permissão para assistir os treino da JAC, que aconteceria em mais dois dias. Sem ter onde passar as noites, Hiroshi se escondeu num terraço do prédio do clube. O dia do treinamento chegou. O rapaz conseguiu reconhecer o ator Kenji Ohba e a atriz Etsuko Shihomi, e lá aproximou-se dos dois e disse assim: "Quero entrar para o JAC!". Shihomi diz que ele deveria voltar em março para os testes.

Convencido de só tinha esse caminho, Hiroshi participou do teste da JAC de março do ano de 1981, onde participaram cerca de 4200 candidatos que concorriam a apenas 40 vagas. O garoto Hiroshi conseguiu e se classificar entre os aspirantes à nova carreira e mal sabia ele que encarnaria grandes heróis no futuro.


Watari como Den Iga nos episódios finais de Gavan


Inicialmente passaria a atuar como alguns monstros nos sentais Sun Vulcan e Goggle V -- onde também chegou a vestir o traje do Goggle Black uma certa vez. Na série Uchuu Keiji Gavan foi o dublê de Doubleman, logo no primeiro episódio. Já chegou a vestir o combat suit do herói nas cenas close e na famosa cena em que Gavan destrói um prédio com a Lazer Z Beam. Golpe este que foi idealizado por ele e por Osamu Kaneda e Minoru Yokoyama.

Hiroshi Watari estrearia como ator em 1983 para vivenciar o personagem Den Iga na série Uchuu Keiji Sharivan -- sequencia direta de Gavan. Assim ele participou do audition (seleção de atores para uma nova série) e passou nos testes. Surgia então pela primeira vez na TV japonesa um novo herói na noite do dia 11 de fevereiro daquele ano - que futuramente assumiria como Policial do Espaço sucessor de Retsu ichojoji na trama, a partir de 4 de março. A partir daí adotou o nome artístico que conhecemos.


Sekisha!

Watari se destacou como Sharivan e logo passaria a ser reverenciado como seu colega Kenji Ohba (Gavan) e tantos outros da JAC. Na série, ele vestiu a armadura do herói vermelho apenas no episódio 22 da série de TV. 
Hiroshi Watari trajando a
combat suit de Sharivan

O ator foi chamado para participar de uma outra série de Metal Hero, que por sinal, é bastante querida por nós brasileiros. Foi no episódio 6 de O Fantástico Jaspion (Kyojuu Tokusou Juspion, 1985) que ele aparecia como Boomerman (Boomerang no original) para dar um suporte ao nosso "Tarzan Galático". O personagem foi criado pelo roteirista Shôzô Uehara para fechar uma brecha na ausência do ator principal Hikaru Kurosaki (ou Seiki Kurosaki) que estava com agenda lotada, devido à uma peça de teatro na qual estava escalado.

Para não faltar a presença de personagens na forma civil (humana), Boomerman chegava para auxiliar o herói. A intenção era fazer como que Boomerman ficasse até o final da série. Porém, Watari teria que se ausentar após participar de apenas seis episódios. O motivo foi devido à uma retirada de alguns pinos que estavam em sua perna, por causa de um acidente de moto que sofrera em setembro de 1984. Watari voltaria na pele de Boomerman nos episódios 31 e 32 de Jaspion.


Hiroshi Watari ao lado de Kenji Ohba,
 que vestia a combat suit de Gavan.

Por curiosidade: Boomerman não existia no projeto original de Jaspion, uma vez que a série se passaria apenas no espaço. Obviamente, o nome do personagem sugeria o uso de grandes bumerangues como armas. O personagem nunca teve um nome verdadeiro revelado. O que nunca foi constado em sua carteira de delegado da Interpol. No livro Kyojuu Tokusou Juspion Perfect Manual, na ficha de Boomerman apenas citava como "Honmyô Fumei" (Nome Verdadeiro Desconhecido).


Watari como Boomerman em Jaspion

Em dezembro de 1985, enquanto Watari estava com seus companheiros da JAC para esquiar, o produtor Susumu Yoshikawa lhe daria uma chance e a mais solidaria a ele. Para compensar a ausência do ator em boa parte de Jaspion, Yoshikawa disse ao rapaz que ele estaria estrelando como herói principal na próxima série de Uchuu Hero (herói do espaço): Jikku Senshi Spielban (Guerreiro Dimensional Spielban ou Jaspion 2: Spielvan no Brasil). Ele pensou que fosse uma brincadeira no começo. Mas não era. Assim emplacaria como mais um Metal Hero e uma das melhores séries de sua época. Aliás, Yoshikawa costumava dispensar auditions para aproveitavar a repetição de atores nas décadas de 70 e 80. Coisa costumeira na época.


Spielvan - um dos grandes trabalhos
 protagonizados por Watari


Da esq. pra dir., Helen (Naomi Morinaga), Kenji Sony
 (Hiroshi Watari), Diana (Makoto Sumikawa)


Watari voltaria a participar de tokusatsu fazendo pontas. No episódio 25 e 26 de Metalder, esteve ao lado de astros da JAC como Kenji Ohba (Gavan), Junichi Haruta (MacGaren de Jaspion), Makoto Sumikawa (Lady Diana de Spielvan), Sumiko Tanaka (Yellow Four II de Bioman) e Kazuyoshi Yamada (Umibôzu de Sharivan).

Outras participações de Hiroshi Watari em tokusatsu: Uchuu Keiji Shaider - ep. final (em 8 de março de 1985), Ultraman Dyna - #27 (14 de março de 1998), Voicelugger - #7 (23 de fevereiro de 1999), Jikku Keisatsu Wecker (home-vídeo de 2001); GoGo Sentai Boukenger #19, 20, 40 (2006), Jikku Keisatsu Wecker Signa (2007; elenco fixo), Kamen Rider W #7-8 (18 e 25 de outubro de 2009); Zebraman (no filme-homônimo de 2004), além de outras produções de cinema e televisão japonesa.


Hiroshi Watari no filme Zebraman


Ex-Vern, o herói interpretado por Watari na série Wecker

Hiroshi Watari veio ao Brasil duas vezes. A primeira foi no Anime Friends em julho de 2003 (junto dos cantores Akira Kushida e Hironobu Kageyama) e a segunda no Ressaca Friends em dezembro de 2004 (junto do ator Takumi "Jiraiya" Tsutsui). Na primeira vez em em que esteve em nosso país, ele conheceu pessoalmente o dublador Élcio Sodré, que dublou Den Iga/Sharivan. Os dois brincaram no palco e Watari foi dublado ao vivo pelo dono da voz de "Shiryu de Dragão", deixando o público ao delírio.


De volta à pele de Den Iga,
após cerca de três décadas

No Brasil, Watari foi dublado pelos falecidos Carlos Laranjeira e Ézio Ramos como Boomerman e Spielvan, respectivamente. Além de Ricardo Pettine nos episódios 25 e 26 de Metalder e do carioca Oberdan Júnior nos episódios finais de Gavan.

Bom, os fãs recebem Watari-san com grande alegria na próxima aventura de Sharivan e de seu sucessor (Kai Hyuga). Todos nós estamos ansiosos para que outubro chegue logo para vivenciarmos Den Iga em mais uma aventura que esperamos há 30 anos do final de Sharivan.

Sekisha!